sábado, 9 de julho de 2011

Kemintiri - Red List





Isis estava morta. O culto que havia se formado a seu redor, guardiões do Feitiço da Vida, lamentou durante séculos até que Hórus, seu filho, subiu novamente do Limbo como uma múmia. A alegria dos mágicos foi emudecida, pois a influência de Set sobre a nobreza egípcia havia recentemente terminado. Eles souberam que Hórus teria de enfrentar a criatura sanguinária durante anos à vir. Eles o ajudaram destruindo os Seguidores de Set ao longo das Duas Terras, o Culto de Isis estava aterrorizado com o castigo do deus das trevas. Enquanto Hórus e seus seguidores lutavam contra os Setitas, o culto tentava se isolar da terrível carnificina.
        Em seu isolamento, Hórus os fortaleceu com segredos que ele tinha aprendido além do sepulcro. Então, concerniu que os mágicos mortais pereceriam antes das crianças monstruosas de Set, ele lhes ordenou que usassem o precioso Feitiço da Vida para criar uma vanguarda de guerreiros contra as Serpentes. Esta ordem foi obedecida.
        O culto continuou escolhendo os homens e mulheres egípcios que ouviam a verdadeira voz, aqueles cujos corações eram equilibrados nas balanças dos deuses contra a pena eterna da verdade. Estes humanos puros foram trazidos ao culto, eventualmente para se tornarem múmias. Quando por fim Hórus teve que se retirar para seu próximo ciclo de morte (com Set esperando pacientemente na escuridão), ele ordenou que a prática continuasse. Ele deixou o Culto de Isis mais forte, mas eles não estariam imunes às sinistras artes da corrupção de Set.
        Kemintiri nasceu durante a 19ª Dinastia, no reinado de Seti I. Nesta época, o Culto de Isis estava sendo cuidadosamente guiado através de Set enquanto o vampiro restabelecia seu domínio sobre a nobreza egípcia.
        O Faraó marcou seu reinado chamando a si mesmo de Filho de Set e exaltando o Deus Vermelho. As efígies de Set, uma vez destruídas, foram reconstruídas como os protetores da casa real. Seus atributos eram exaltados na coragem militar do rei. O Faraó havia prometido construir o templo mais magnífico para seu deus, se ele assegurasse o longo reinado de seu filho, Ramsés.
        O templo foi construído, e as mulheres mais belas da terra serviam como sacerdotisas para honrar a Set. Entre estas, a jovem Kemintiri subiu rapidamente ao topo da ordem. Ela era de forma sobrenatural, uma camaleã qualificada com um talento marcante de fazer as escolhas certas e assim, escalou os degraus da seita. Na política do templo, ela era intuitivamente suprema. Sua aparente devoção para com todos os deuses chamou a atenção do Culto de Isis. Negligenciando a indagação de Hórus para aqueles com a voz verdadeira, os mágicos escolheram Kemintiri por sua beleza e conhecimento teológico.
        Durante sua estada no templo de Set, o deus das trevas havia visto Kemintiri mais de uma vez. Ela ficou fascinada com sua beleza, um guerreiro com cabelos e olhos tão vermelhos quanto o mal egípcio. Embora ele nunca a tivesse tocado, ele falou suavemente de sua beleza e perspicácia. Este senhor majestoso encantou Kemintiri.
        O lisonjeio dele não foi sem propósito; Set desejava para si um servo leal dentro do Culto de Isis. Ele havia obtido o instrumento perfeito na forma desta jovem e primorosa mulher.
        No Culto de Isis, Kemintiri aprendeu muito da magia ensinada pelos magos. Set tinha lhe pedido que obtivesse o Feitiço da Vida para ele, e ela havia concordado. Com paciência consumada, ela esperou e aprendeu tudo o que lhe foi ensinado e faz tudo aquilo o que lhe foi requerido. Set esperou por um longo tempo para que ela lhe entregasse o segredo da verdadeira imortalidade em suas mãos. Depois de uma década de estudo, Kemintiri aprendeu o misterioso Feitiço da Vida.
        Ela teria levado o mistério para Set, mas Hórus despertou de seu ciclo de morte. Ela foi fascinada de repente por esta nova criatura com as histórias que ele lhe contou. Ela havia aprendido tanto sobre ele; a real pessoa a impressionou de forma que Set nunca havia feito. Ela se tornou uma verdadeira crente na causa de Hórus e do culto.
        Imediatamente, ela contou o plano de Set a Hórus, pronta para morrer por sua deslealdade. Hórus a perdoou encontrando agora sua verdadeira voz. Ele usou-a como exemplo para mostrar aos outros magos como Set havia os usado por gerações, e tinha trazido uma bela víbora até mesmo no meio deles. Hórus esboçou as qualificações rígidas então necessárias para escolher as próximas múmias. Disciplina devolveu à vida quotidiana ao culto.
        Set estava pálido de raiva com seu fracasso. Apesar da mudança de Kemintiri ser de coração, ele estava determinado a arrancar os segredos de seu corpo. Adequadamente, ele fez a captura dela prioridade mais alta entre sua progênie. Ele então planejou distrair Hórus e seus magos, enquanto os Setitas capturavam Kemintiri. Seu ardil teve êxito. Nem toda a magia de Kemintiri pode protege-la do ataque combinado dos Setitas. Ela foi trazida à Set, incapacitada por falta de sangue.
        Kemintiri ultrajou Set gritando que nunca revelaria o Feitiço da Vida a ele. Ele tentou Domina-la, mas sua aura expandiu-se em uma luz branca e concedeu-lhe imunidade ao poder dele. Ele a golpeou quase até a morte e a ameaçou com torturas primorosas. Mas ela a tudo suportou severamente.
        Como Hórus e seus outros magos tentaram salvar Kemintiri do senhor das trevas, ele decidiu implementar sua última ameaça na pessoa dela. Ele a Abraçou violentamente, polui seu corpo para sempre com o sangue de Caim e destruiu seu sonho de tornar-se uma múmia.

SUA NÃO VIDA
Graças aos mesmos poderes místicos que tornaram Kemintiri imune a Dominação, ela também não pôde ser tomada por Laço de Sangue. Em forma de deboche Set lhe ordenou que voltasse para Culto de Isis que certamente a destruiria. Ela era agora dele, e ele era sua chave para a sobrevivência. A mente de Kemintiri deformou-se sob as mãos experientes de Set, mas ela aprendeu a Disciplina Serpentis que ele havia usado para ataca-la. Sua astúcia anterior retornou, um substituto para o vácuo que seu vampirismo deixou em sua alma.
        Set ainda estava desesperado pelo Feitiço da Vida, mas Kemintiri reteve isto consigo desafiando seu novo senhor a destrui-la, extinguindo assim as chances dele aprender o segredo. Set enfurecido, agredia a neófita noite após noite. Inexoravelmente, ela foi provocada até ser consumida pelo ódio e devolver-lhe um golpe. Seu  mestre a encarou incrédulo, Kemintiri usou a magia que tinha aprendido no culto e mandou Set cambaleando e fugindo pelas paredes como se elas não estivessem lá.
        Ela vagou durante séculos. Os povos nômades viveram em terror enquanto ela rondou os rastros das caravana e oásis. Set enviou alguma outra progênie sua traze-la devolta. Kemintiri os destruiu. Ela passou pelos desertos ardentes, um lugar assombrado onde Set havia sido exilado uma vez. Ela deixou sua humanidade sangrar enquanto caçou. A torrente de sangue extinguiu sua sede e a levou como um rio vermelho para uma mente controlada pela besta. A Fome, a última derrota dos vampiros, a reivindicou. Tudo que caia sob seus olhos caíram estava condenado, alimento para a devoradora voraz que ela havia se tornado.
        Khetamon, a última progênie sobrevivente de Osiris, encontrou Kemintiri. Ele tinha sido avisado de suas depredações por membros de sua seita, Os Filhos de Osiris. Tendo compaixão por aqueles controlados pela besta, ele capturou Kemintiri com a ajuda de seus seguidores. Ela lutou veementemente, mas os Filhos de Osiris a contiveram deixando-a em torpor. Assim imobilizada, ela foi levada para às profundezas da Índia onde Khetamon e sua ordem de Cainitas humanistas começaram a traze-la devolta da Fome.
        Khetamon tinha somente uma magia rudimentar para ajuda-la, o inicio da Disciplina que seria depois conhecida como Bardo. Sua Humanidade cresceu pouco a pouco, até que Kemintiri pôde entender quem ela era. Com sua mente retomada, ela foi subjugada por um ódio por Set e o pesar de sua verdadeira imortalidade perdida. Ela seguiu as disciplinas rígidas dos Filhos de Osiris e recuperando cada vez mais suas recordações. O Feitiço da Vida, a fórmula que ela acreditava que a salvaria da maldição de Set, permaneceu obscuro em sua parcial amnésia.
        Inevitavelmente, Kemintiri sabia que não podia permanecer com os Filhos de Osiris. Seu ódio para com Set cresceu a cada noite. Khetamon viu isto e tentou reforçar a Disciplina nela. Kemintiri, sempre a atriz perfeita, parecia estar longe de sua necessidade por vingança. Sua humanidade agüentou em um equilíbrio precário por anos até que ela finalmente entrou em frenesi, fracassando vítima para um vestígio de sua fome. Ela matou alguns dos Filhos de Osiris e fugiu para seu antigo lar.
        Ela retornou para achar a batalha outra vez. Sua terra tinha sido transformada, durante o tempo de suas andanças no deserto, O Culto de Isis, massacrado até o último magus, estava agora aqui para ser encontrado. Kemintiri era uma estranha em sua própria terra, e sua mente  novamente buscou o consolo da loucura.

SEUS PROPÓSITOS

Set finalmente destruiu o Culto de Isis. Quando ele desapareceu do mundo em 31 A.C., Set possuía apenas uma versão corrompida do Feitiço da Vida, entregue pelo último mago. Suas Múmias Malditas são imperfeitas, até mesmo se eles servirem um propósito. Set procurou por Kemintiri agora uma das mais antigas Matusalém Setita. Além das múmias, ela é o único depósito do conhecimento do verdadeiro Feitiço da Vida, mas ela não pode se lembrar disto.
        Kemintiri vagou durante os últimos dois milênios. Ela procurou as sobreviventes de seu culto, e por múmias. Tendo fracassado nisto, ela está tentando recuperar o Feitiço da Vida de suas próprias recordações fragmentadas, esperando que isto a traga de sua danação. Isto é o centro da meta fundamental de sua vida.

SUA NATUREZA
Kemintiri afundou mais e mais profundamente na indiferença relativa a todas as coisas vivas, como ela acredita que ela deveria ser. Embora aja  tempos breves de esperança, ela também sabe que está correndo contra o tempo quando a Besta a reivindica novamente. As filosofias dos Filhos de Osiris — repressão da Besta através de autocontrole rígido — deformou na convicção que todos os vampiros devem ser salvos de seus estado. Agora, ela realiza isto os assassinando. Para alguns ela oferecerá o presente da vida eterna — quando ela finalmente se lembrar por completo do feitiço da Vida. Seus repetidos fracassos só aumentaram sua frieza .
        No íntimo de Kemintiri está um ódio por todas as coisas vivas. Qualquer coisa que não seja morta-viva é uma afronta, uma piada cruel para ela. Ela faria o cruel Sabbat ofegam às atrocidades odiosas que ela comete com os que caça. Kemintiri é uma gata que gosta de jogar com os ratos mortais. Ela também sofre pesadelos horrorosos que aumentam suas estranhas percepções.
        Kemintiri sofre de uma peculiar amnésia que vem e vai. Isto a deixa desorientada às vezes, e quando isto ocorre é muito letal. Muitos de seus lacaios morreram quando ela esqueceu-se abruptamente quem eles eram. 

SEU MODUS OPERANDI
Quando a Camarilla surgiu, Kemintiri a estudou silenciosamente durante séculos, fascinada pela  diversidade de vampiros que se puseram debaixo de uma única lei. Ela estava especialmente interessada nos Tremere, um grupo de magos que possivelmente possuíam os elos que ela precisava para recriar o Feitiço da Vida. Embora o Sabbat também a intriga-se, este era principalmente composto de Membros jovens que não obtinham o conhecimento necessário a ela.
        Os Tremere apresentaram um problema. Por sua magia, Kemintiri soube que seria possível personificar qualquer um dos Justicars dos sete Clãs. Porém, os Tremere eram muito unidos como Clã e possuíam uma perigosa quantia de conhecimento oculto. Colocar-se dentro da hierarquia deles seria muito arriscado. Ela examinou os outros prospectos e finalmente decidiu pelos Ventrue. Eles eram escravos de seu próprio tradicionalismo, algo que ela era verdadeiramente perita em fingir, e eles possuíam uma quantia surpreendente de riqueza material.
        Até este ponto, Kemintiri tinha feito da arqueologia no Egito sua constante profissão. Ela foi de uma escavação a outra, a espera de que os textos sagrados do Culto de Isis pudessem ajuda-la. Em uma tumba, Kemintiri achou uma estátua de madeira dourada com uma cavidade debaixo de sua saia. Na cavidade havia um texto sagrado da Ordem que a deixou mais próxima do Feitiço da Vida, mas não perto o bastante. Ela roubou o documento da tumba antes de seus conteúdos fossem catalogados.
        Escavações eram caras. Kemintiri quis cobrir mais área, mas faltaram recursos para assim fazer. Apesar de sua vida longa, ela nunca havia considerado riquezas materiais importantes para sua existência. Agora ela queria que os Ventrue financiassem uma variedade de escavações no Egito. Em 1932, usando sua magia, ela seqüestrou o Justicar Ventrue e o substituiu. Ela assumiu a forma dele e recordações através de um ritual especial que ela tinha criado em seus longos anos de camaleão. Seus feitiços, e o uso de Vicissitude, fez com que o disfarce se tornasse mais convincente.
        Ela implementou seus planos imediatamente. Ela intimidou em silêncio qualquer um que questionasse seu uso de recursos do Clã. A maioria de seus inimigos, adquiridos durante séculos, vira-se sob Caçadas de Sangue. Embora ela tentasse ser sutil, seu desejo para os segredos enterrados no Egito a consumiu. Os Tremere, alarmados à mudança do Justicar Ventrue, começaram a observa-la e finalmente descobriram sua real identidade. Ela fugiu, mas não antes de levar muitas das riquezas do Clã e informações das tumbas egípcias saqueadas.
        O Sabbat se tornou seu próximo foco, até então a Camarilla havia criado a Lista Vermelha com sua cabeça a prêmio. Ela tinha aprendido a Mistura da Vitalidade do Sabbat, uma poção que tornava vampiros em mortais durante um único dia. Tendo reunido o que ela acreditou ser finalmente o Feitiço da Vida, Kemintiri procurou usar essa poção para transformar vampiros em mortais, que desejassem o bastante para passar pelo ritual.
        Ela estabeleceu contato com Valerius Maior, outro membro da Lista Vermelha e um criminoso que tinha algum contato com o Sabbat. Considerando o ódio do Sabbat por Setitas, ela não estava pronta para uma batalha com eles. Ela coletou informação sobre a Lista Vermelha a ser entregue a Maior, e foi enganada por um feitiço que ele pôs num placebo com uma versão da poção. Ela tomou conhecimento que ele não adquiriu a informação como bem queria, mas seria de seu agradado saber sobre isto indubitavelmente.
        Os esforços de Kemintiri para fazer múmias falharam. Os Cainítas que ela forçou passarem pelo horrível ritual morreram em excruciante agonia. Ela suspeitava que Maior a houvesse enganado, e  eventualmente ela lhe dará o troco. Tendo tanto poder e influência em suas mãos, seu fracasso a deixou mais desesperada. Atualmente, ela está viajando, estabelecendo contato com muitos coletores que possuem artefatos egípcios ilegais. Ela espera descobrir a informação que busca com um deles.

SEUS CRIMES
O maior crime de Kemintiri é o completo embaraço causado no alto escalão da Camarilla — algo nada fácil de se realizar. Ser uma Setita não ajuda. Sua personificação de um Justicar e o assassinato de dúzias de vampiros deixou uma cicatriz permanente na seita. Os Ventrue nunca descansarão até que ela seja encontrada.

CLAN QUE A CAÇA
Para qualquer outro Clã o desejo de caça sobre Kemintiri produziria uma perigosa oposição aos Ventrue que agarram este privilégio. O resto dos clans da Camarilla entendem isto e não criam caso — pelo menos não abertamente.
        O Sabbat tem muito pouca informação sobre Kemintiri, mas eles ouviram rumores de uma progênie direta de Set nos Estados Unidos, e eles mantêm seus olhos abertos.
        Os Filhos de Osíris a buscam como bem. Seu abuso da hospitalidade deles é insignificante perto dos segredos de seita que ela aprendeu. Ela representa o que há de pior nos vampiros, e eles vêem sua destruição como um serviço para todos os Cainítas. Em 1971, quatro Filhos de Osíris descobriram Kemintiri enquanto ela visitava um rico receptor de antiguidades em Calcutá. Eles os surpreenderam, e Kemintiri os destruiu facilmente.
        Os Seguidores de Set estão fazendo da captura de Kemintiri uma de suas prioridades mesmo agora. Ela, como a Besta Tiphoniana, é um vínculo à escuridão deles. Eles constantemente propagam rumores da presença dela em várias cidades para incitar os príncipes locais, pretendendo não lhe dar descanso algum em suas viagens.
        Ainda, Kemintiri aprendeu muito durante seu cargo como Justicar e seus recursos são verdadeiramente formidáveis. Os Membros do mundo tem uma tarefa hercúlea de destruí-la antes que ela complete sua meta de construir uma raça de múmias. Quando ela o fizer, a Gehenna pode empalidecer comparado à sua vingança. 

KEMINTIRI

        Clã: Seguidores de Set
        Senhor: Set
        Natureza: Sobrevivente
        Comportamento: Excêntrico
        Geração: 4a
        Idade Aparente: 27 anos
        Físicos: Força 7, Destreza 9, Vigor 8
        Sociais: Carisma 8, Manipulação 9, Aparência 8
        Mentais: Percepção 6, Inteligência 8, Raciocínio 8
        Talentos: Expressão 8, Prontidão 2, Expressão Artística 3, Briga 6, Esquiva 8, Empatia 5, Intimidação 7, Intriga 7, Liderança 6, Sedução 3, Manha 4, Lábia 8, Pesquisa 3
        Perícias: Boêmia 3, Dançar 3, Disfarce 3, Condução 3, Etiqueta 4, Falcoaria 2, jogo 3, Herbalismo 3, Interrogatório 5, Máscara 4, Armas Brancas 4, Pesquisa 6, Furtividade 5, Sobrevivência 5
        Conhecimentos: Arqueologia 7, Astrologia 3, Computação 2, Criptografia 2, História 6, Investigação 2, Cultura da Família 7, Lingüística 8, Cultura Mística 4, Medicina 3, Ocultismo 7, Política 5, Ciência 3, Tanatologia 4, Teologia 2
        Disciplinas: Auspícios 6, Bardo 7, Rapidez 4, Dominação 5, Fortitude 4, Necromancia 5, Ofuscação 9, Potência 2, Presença 6, Serpentis 8, Taumaturgia 6
        Linhas Taumaturgicas: Linha da Corrupção 5, Sedução das Chamas 3, Movimento da Mente 3, Linha da Conjuração 3, Controle de Elementais 2, Controle Climático 2
        Antecedentes: Contatos 6, Aliados 4, Recursos 5, Lacaios 6
        Virtudes: Consciência 1, Autocontrole 2, Coragem 5
        Moral: Humanidade 3
        Força de Vontade: 10

         Imagem: Os olhos de Kemintiri são como os de uma serpente, um verde pálido com fenda nas pupilas. Ela é extremamente bonita. Seu cabelo é longo, liso, e lustrosamente negro, ela gosta de complementar isto com roupa negras e jaquetas de couro. Ela às vezes usa mantos e outros trajes arcaicos.
        Citação: “A Camarilla sofre para proteger seus membros, este é o único propósito merecedor a que serve. Mas, isto um dia acabará, quando seus anciões chegarem para alimentar-se à mesa da Gehenna. Uma cadeira estará reservada para mim.”
        Dicas de Interpretação: Você é quieta, reservada, e mortalmente séria. Você gosta de zombar das pessoas com mistérios que eles nunca poderão conhecer. Às vezes você é se recorda de seus dias bestiais, e não ouve o que está sendo dito a você.
        Refúgio: Sítios arqueológicos, casas.
        Influência: Os Giovanni acreditam estar usando Kemintiri, mas o contrário é o real. Ela também possui uma grande rede de informações de carniçais.
        Nota: A qualquer momento Kemintiri pode fazer um teste de Raciocínio, o valor alvo é acrescentado em 3. Uma ausência de sucessos indica que ela entra em seu estado de amnésia. Ela deve então fazer um teste de frenesi com dificuldade padrão.
        Observe que ela possui um ritual de sexto nível, A Máscara Eterna (The Eternal Mask) que lhe permite assumir a forma e aura de alguém que ela mate durante o ritual. Ela pode possuir também quaisquer outros rituais que o Narrador desejar. 
Seu nível extra de auspícios a permite ver o que está acontecendo em lugares distantes que lhe são familiares. Seus níveis extra de ofuscação a permitem fazer com que alvos esqueçam o que sabem sobre ela, criando falsos pensamentos e memórias para enganar aqueles que usam telepatia. Ela pode do nada aparecer como alguém que a vítima gostaria de ver e apagar as ligações entre ela e outros para que terceiros tenham bloqueadas quaisquer deduções a respeito dessas ligações.
Seu nível extra de presença lhe dá a capacidade de submeter suas vítimas a uma depressão tão profunda que precisam gastar força de vontade para conseguir executar ações mais desgastantes do que simplesmente ser capaz de levantar da cama.
Finalmente, sua serpentis de nível alto pode ser usada para deixar uma vítima obcecada com algo, pode fazer uma vítima se recusar a importar-se com algo (até a própria vida) ou se tornar extremamente sádica.

Rumores: Você é um Antediluviano (F); você está determinada a cometer diablerie em Set (F); você está descansando em torpor (F); Os Filhos de Osiris e os Setitas estão lhe caçando (V); você odeia climas frios (F).

Retirado do Kindred Most Wanted págs 87-90

PS.: Postado originalmente na Capela Strauss, entretanto eu adicionei os trechos do livro que faltavam.

Acodesh

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário