terça-feira, 29 de março de 2016

Virstania - Tremere



A Mãe dos Dragões, Rainha dos Ãndalos e dos Primeiros Homens... ops ops... essa é apenas a Mãe das Gárgulas hehe

Virstania – Mãe das Gárgulas

8ª Geração – Cria de Brunavog
Natureza: Fanática
Comportamento: Inovadora
Abraço: 1111
Idade Aparente: 30 e poucos anos

Virstania nasceu em 1060, a muitas centenas de milhas a sudeste de Ceoris, na capela Cephesis da Casa Tremere. Seu pai era um guerreiro lacaio dos Tremere, sua mãe era a cozinheira chefe. Virstania não conhecia nenhum tipo de sociedade fora do mundo dos magi Tremere. Ela cresceu falando latim como língua primária, e usava equipamentos alquímicos descartados como brinquedos. Virstania demonstrou cedo uma aptidão para a mágica, e se tornou aprendiz do líder da capela, Iubara, aos 13 anos. Sua compreensão natural de princípios esotéricos e anseio de agradar a permitiram eclipsar aprendizes mais velhos, cuja inveja logo adquiriu. Ao invés de tentar conquistar-lhes a amizade, ela sentiu-se determinada em vingar suas provocações ao se tornar o aprendiz mais jovem na história da capela a se graduar como mago completo. Ela recebeu esta honra em 1080. Entretanto, sua carreira na capela logo estagnou-se. Os magi mais velhos a tratavam como uma curiosidade, não como uma colega. Ela ainda era mais jovem do que muitos aprendizes. Virstania descobriu ser impossível estabelecer amizades, ou proteger-se das disputas politicas mesquinhas da capela. Assim sendo, ela decidiu criar alguns companheiros. Ela animava criaturas de barro e hibridizava animais, ocultando os resultados frequentemente bizarros de seus experimentos dos outros magi. Em 1105, ela era uma maga melancólica sem amigos com um laboratório cheio de animais estranhos e secretos. Naquele mesmo ano. Naquele mesmo ano, um ataque Tzimisce atingiu Cephesis e enviou os sobreviventes numa fuga em direção a Ceoris. Ao fugir de seus aposentos, Virstania pegou seu animal híbrido favorito, um furão amarelo com a cabeça de um esturjão, e o escondeu entre os seios. Entretanto, ao chegar em Ceoris, a coisa escapou, deslizando por entre as pernas dos guardas para posteriormente causar histeria nos cômodos destinados às servas. Goratrix entrou no lugar e encurralou a coisa e fez morrer bem diante de seus pés.
Ele não admoestou Virstania. Ao invés disso a designou para uma tarefa: a criação das gárgulas. Ele permitiu a um de seus aliados, Brunavog, a abraçá-la em 1111. Em seguida Goratrix o dispensou e assumiu ele próprio a tutela de Virstania. No ano seguinte ela já trabalhava ao lado dele no projeto. Virstania pouco se preocupava com o fardo espiritual do vampirismo; ao invés disso sentia-se revigorada, excitada em finalmente desfrutar da aprovação de um companheiro magus. Ela colocou suas técnicas de hibridização à prova, e em 1121, ajudou Goratrix a criar as primeiras gárgulas. Ela banhou as gárgulas no mesmo amor inabalável que havia dado a seus construtos bizarros em Cephesis. As gárgulas respondiam como pintos diante da mãe, e seus instintos filiais os tornaram fáceis de serem controlados.
Quando Goratrix foi exilado para Paris em 1133, Virstania achou ter perdido seu único amigo entre os homens e os cainitas (é duvidoso que Goratrix tenha retribuído estes sentimentos de amizade). Virstania ficou reclusa em suas câmaras inferiores, dando continuidade a seus esforços em aperfeiçoar a raça de gárgulas. Ela os traz ao mundo, atribui-lhes tarefas  e oficializa suas cerimônias de luto. Virstania encoraja as gárgulas a pensarem nela como sua Grande Mãe.
Conforme os anos passam, Virstania passou a se preocupar mais com as gárgulas d que com seus companheiros cainitas. Suas crianças ainda precisam da proteção de Ceoris, ela deduz, e ainda precisarão por muitos anos. Mas algum dia elas serão uma raça independente, uma que magos e cainitas devem temer. Luma, a mais ambiciosa das aprendizes Gárgula de Virstania, a convenceu de que tanto Eosara como Paul Cordwood estão no caminho deste objetivo e precisam ser enfraquecidos, ou até eliminados. Embora Virstania não tenha apetite para conflitos, deu permissão para que Luma vigiasse o capitão da guarda e o mestre dos espiões em buscas de fraquezas a serem exploradas.

Fonte: House Tremere págs 92 e 93

Nenhum comentário:

Postar um comentário