domingo, 12 de julho de 2015

Anastaz di Zagreb, Pretender e Justicar Tremere




Histórico: Anastasz nasceu filho de um rico importador têxtil da Eslavônia durante a década de
1840 e cresceu com todo o conforto e prestigio proporcionado pelo dinheiro. Quando jovem,
Anastasz encontrava-se fascinado pelo estranho e sobrenatural. Sua governanta lhe contava histórias
sobre o zhulo que aparecia a noite e aterrorizava os vilarejos, e duendes e sluagh que roubavam
sua voz se você fosse mal. Longe de ficar amedrontado, a possibilidade de existirem tais
maravilhas no mundo intrigava o jovem Anastasz. Ele resolveu que quando fosse mais velho ele
veria e falaria com eles.
            O pai de Anastasz, um homem prático, sentiu que as fantasias de seu filho prejudicavam seu desenvolvimento e despediu a governanta. Tomando conta da educação do garoto, ele mandou Anastasz para a Inglaterra e o matriculou nas melhores escolas.
            Anastasz deixou sua casa influenciado pelas histórias contadas pela sua governanta. Enquanto seu mundo de magia e maravilhas ruía diante de um mundo de geometria e teoria econômica, Anastasz lentamente tornou-se um homem sério a quem seu pai aprovaria.
            No seu primeiro ano em Oxford, Anastasz encontrou com um mágico de palco aposentado em um bar local. A habilidade do homem em criar ilusões era impressionante, e aprender a arte da prestidigitação obcecou Anastasz. Praticando constantemente suas novas habilidades durante a maior parte do seu tempo de escola, Anastasz quase reprovou em seus cursos, mas tornou-se bem competente em seus truques. Logo ele estava fazendo pequenas apresentações locais e denominando-se “O Mago Imperial”.
            Após ganhar seu bacharelado em Oxford, ele freqüentou a prestigiada Faculdade de Economia de Londres. Durante o dia, ele discutia teorias e modelos econômicos. A noite, ele juntava-se a uma sociedade que se denominava Anel Mágico e compartilhava segredos da arte da ilusão.
            Foi a busca de Anastasz por novos truques que o levou para as garras do mundo que ele havia deixado para trás em sua juventude. Procurando em um beco por um obscuro vendedor de livros, ele presenciou um homem aparentemente mordendo outra pessoa. Horrorizado, Anastasz viu um rio de sangue gotejando da boca do homem. O atacante, notando a presença de Anastasz, largou a sua vítima, e à luz dos postes à gás, o jovem conseguiu vislumbrar presas ensangüentadas brotando de sua boca. Anastasz rapidamente alcançou seu bolso e puxou um pacote com pólvora fresca que ele sempre carregava. Com um movimento ágil, ele usou seu anel de ignição e jogou a pequena bolsa no monstro. A pólvora se incendiou com um clarão, fazendo o monstro gritar e recuar. Antes que ele pudesse recuperar-se, Anastasz fugiu aterrorizado.
            Na próxima noite, Anastasz contou sua aventura aos outros membros do Anel Mágico, que zombaram de sua história, sugerindo que ele a publicasse em um pasquim. Abatido, Anastasz voltou para seu apartamento.
            Ao entrar em sua casa, Anastasz encontrou um homem sentado o aguardando. Com um calafrio, ele notou que o intruso era a criatura que ele havia visto na noite anterior. Com um gesto, a criatura fez com que a porta se fechasse por vontade própria. Anastasz queria fugir mas não podia, ele havia sido transfixado pelos olhos da criatura.
            O vampiro, que é o que ele realmente era, passou a noite explicando a Anastasz a verdade sobre a verdadeira magia – a magia do sangue – e como um nobre grupo similar ao Anel Mágico de Anastasz decidiu tornarem-se verdadeiros feiticeiros e encontraram uma maneira de alterarem seus corpos mortais em troca da imortalidade. Enquanto o vampiro falava, Anastasz se deu conta de que a criatura oferecia a ele a chance de conhecer a mágica real. Sem hesitação, ele concordou.
            Anastasz passou os próximos 25 anos em Viena na capela Tremere, aprendendo ali a realidade de sua nova existência e descobrindo a sua incrível e rara aptidão para a Taumaturgia. Completamente devotado a seu novo clã, ele tornou-se um excelente pesquisador e um poderoso magus em um tempo surpreendentemente curto.
            Quando um novo Justicar Tremere foi escolhido próximo do ano de 1900, eles escolheu Anastasz como um de seus Arcontes. Seu talento como magus fez dele um agente muito útil. Ele viu coisas horríveis, incluindo muitas das criaturas míticas das quais sua governanta falava. Anastasz tornou-se conhecido como uma autoridade em ocultismo, e seu comportamento franco e  amigável e a sua vontade em ajudar fizeram dele um joguete na política interna do clã Tremere.
            Em 1998, quando chegou a hora de ser escolhido um novo Justicar, os Tremere se viram divididos entre vários candidatos. Jean Saint Frederique, um Tremere muito poderoso que presidia uma grande capela na França, apoiou Anastasz como candidato. Assumindo que ele poderia controlar o ancillae, Saint Frederique usou sua influencia para angarias votos suficientes para conquistar a eleição de Anastasz.
            Incumbido de uma posição para a qual ele não está totalmente preparado, Anastasz tornou-se dedicado a provar-se digno de ser um Justicar. Ele ofendeu vários de seus colegas, incluindo o novo Justicar Brujah, Jaroslav Pascek. Como resultado, Pascek montou uma operação para ensinar ao jovem Tremere uma lição. Anastasz está planejando retomar Montreal do Sabá. Se Anastasz obtiver sucesso, Pascek planeja revelar que ele é quem era a fonte das informações essenciais para a operação e levar todo o crédito.
            Anastasz sabe que muitos membros da Camarilla e de seu próprio clã o vêem como inexperiente e fraco, e ele esta determinado a mostrar para todos que ele sabe como ser um Justicar. Ele apela para seu mentor, Saint Frederique, em busca de conselhos, e o antigo vampiro fica feliz em dá-los. Embora as habilidades de Anastasz estejam melhorando, pode demorar décadas até que ele se adéqüe apropriadamente ao papel de Justicar.


Imagem: Anastasz é um homem alto e passa uma impressão de fragilidade, embora também irradie uma grande energia. Seus olhos são de um verde elétrico, e o seu cabelo é da cor da palha. Ele veste-se ao estilo dos anos 30 e 40; geralmente ele usa chapéu, polainas, ternos de seis botões e uma bengala.


Dicas de Interpretação: Você pretende extirpar com cada traço de oposição à Camarilla e provar para todos os seus críticos que você é um Justicar apto e competente. Devotado como é a causa, você ainda pode ser distraído por algum novo e interessante fenômeno sobrenatural. Você gostaria de ter confiança o bastante para agir por conta própria, mas ainda sente a necessidade de consultar seu benfeitor. Se você é forçado a tomar uma decisão sozinho, ela tende a ser extremamente rigorosa.

Clã: Tremere
Senhor: Claas Drescher
Natureza: Competidor
Comportamento: Tradicionalista
Geração: 
Abraço: 1867
Idade Aparente: Início dos 20
Físicos: Força 3, Destreza 4, Vigor 3
Sociais: Carisma 3, Manipulação 2, Aparência 3
Mentais: Percepção 5, Inteligência 5, Raciocínio 3
Talentos: Prontidão 4, Briga 2, Esquiva 1, Empatia 3, Expressão 1, Interrogação 4, Intimidação 4, Intuição 2,
Lábia 3
Perícias: Etiqueta 3, Armas de Fogo 2, Armas Brancas 3, Segurança 3, Prestidigitação 4, Furtividade 4, Sobrevivencia 2
Conhecimentos: Acadêmicos 4, Conhecimento da Camarilla 4, Enigmas 2, Finanças 2, Investigação 4, Direito 4, Lingüística 3, Medicina 3, Ocultismo 5, Política 3, Pesquisa 4, Ciência 3
Disciplinas: Taumaturgia 5, Auspícios 3, Dominação 3, Fortitude 2
Linhas Taumaturgicas: Linha do Sangue 5, Sedução das Chamas 4, Movimento da Mente 3, Manipulação
Espiritual 2
Antecedentes: Status 5, Mentor 4, Recursos 4, Aliados 2, Contatos 2, Influencia 2, Lacaios 2
Virtudes: Consciência 3, Auto-Controle 4, Coragem 5
Moralidade: Humanidade 5
Força de Vontade: 6



Fontes CotN págs. 48 e 49.
Traduzido por Gilmar

Nenhum comentário:

Postar um comentário