segunda-feira, 3 de março de 2014

Meneleus - Matusalém Brujah

Aquele que evocou o elemental de fogo que destruiu Pompéia



Embora a civilização grega não tenha atingido seu ápice até a era de Péricles (começando em 457 A.C.), Menele desfrutou seu reinado de uma das crescentes cidades mercantes da Grécia uns seis oito antes. Apesar dos fardos da coroa, Menele encontrou bastante tempo para dar indulgência a seus gostos por intelecto e beleza. Antes de completar 30 anos havia se casado com uma das mulheres mais bonitas em Magna Graecia, construído algumas dos mais refinadas construções da península, apoiado diversos e distintos filósofos e comelado a reunir pergaminhos que se tornariam uma das maiores bibliotecas do mundo.
Nem todos o aplaudiram. Com o florescimento de sua cidade, muitos lançaram olhos cobiçosos em suas rotas de comércio. Em particular, uma cidade na Ásia Menor começou a hostilizar seus comerciantes. A situação foi se agravando até que a cidade inimiga ousou seqüestrar sua esposa. Menele convocou os todos seus aliados nas cidades-estado gregas, reuniu uma grande frota e velejou a leste para a batalha.
A guerra durou muito mais do que Menele havia esperado, mas finalmente os gregos em  maior número prevaleceram. Infelizmente, Menele não desfrutou da vitória. Na noite anterior ao dia em que faria sua entrada triunfante na cidade,  recebeu uma visita noturna. A cidade estava sob o domínio secreto de um Brujah chamado Troile; tendo entediado-se da cidade um século antes, havia saído em viagem, e retornou a tempo para vê-la cair. Ele passou a noite com o líder das forças conquistadoras tentando descobrir que tipo de mortal este rei Meneleus era.

Troile, um filósofo que tinha viajado extensamente desde a destruição da Segunda Cidade, achou o rei-sábio muito fascinante. Ao término da noite ele levou Menele para seu refúgio ao norte da cidade; lá passaram os próximos meses em profunda conversação. Por fim, Troile decidiu que Menele possuía todos os elementos que o faziam digno da imortalidade. Assim Menele foi trazido para aos mortos-vivos.
Durante os próximos poucos séculos, Menele viajou pela Europa e Ásia. Na Pérsia se fascinou pelo plano espiritual, e passou um século em estudo junto aos místicos de lá. Ele foi para a Índia, e passou outro século estudando com os espiritualizados daquela antiga terra. Finalmente voltou à Europa com a intenção de passar o resto de sua existência imortal em contemplação do plano astral.
Então ele conheceu Altamira, uma Brujah ibérica muito antiga. Ela falou de uma poderosa cidade em crescimento no Norte da África que envergonharia a Segunda Cidade e rivalizaria com a Primeira Cidade em glória. O Cainitas de lá seriam os maiores do mundo, e viveriam em harmonia perfeita com a Canaille, livres das restrições de qualquer príncipe. Alguns, ela disse, tinham descoberto um modo de controlar a Besta, e outros foram retirados das próprias profundezas do frenesi. Juntos, mortais e imortais criariam uma maravilhosa, cidade eterna de paz, progresso e igualdade.

Menele ficou encantado com a idéia; era a manifestação de todas suas próprias esperanças e sonhos. Com grande pressa ele viajou para esta Cártago, e descobriu que a cidade era tudo o que Altamira havia prometido. Vampiros e mortais trabalhavam juntos em grandes obras de arte, em estudo de todos os ramos da ciência, no oculto e na progressão do espírito. O mortais de livre vontade davam parte de seu sangue para alimentar os Cainitas, e o imortais em troca usavam seus poderes para tornar a vida mortal mais fácil e agradável. Matar mortais era proibida, e os vampiros alimentavam-se juntos para que a seguranças dos mortais estivesse garantida. Em pouco tempo, Menele se estabeleceu na cidade, e uniu-se as dúzias de outros Cainitas em suas buscas pela Golconda.
Este foi o começo da terceira era, o tempo das grandes cidades. Agora, numa das poucas vezes na história, um lugar podia abrigar mais do que um vampiro. Antes deste tempo, um único acampamento não podia alimentar com segurança mais do que um cainita., pois uma população mortal acima de 10.000 era praticamente desconhecida. Contudo, com a elevação de Roma e Cártago, os membros poderiam viver juntos – uma nova era havia se iniciado.
Embora muitos Toreador tenham apoiado os Brujah na fundação de Cártago, outros clãs mantinham suspeitas. A cidade de Roma em crescimento era controlada por uma aliançainstável de Ventrue e Malkavians; eles alegaram que os Brujah em Cártago estavam juntando forças para matar todos os outros Cainitas. Em pouco tempo Roma lançou seus primeiros ataques contra Cártago. Menele, um diplomata experiente e orador famoso, se tornou o enviado de Cartago e tentou conquistar apoio Gangrel e Nosferatu. Ele também conseguiu atrair novos Toreador a cidade, inclusive a bela e poderosa Helena.

As guerras perduraram por mais de um século. Finalmente, depois de anos de cerco, Cartago foi traída — por um Toreador, segundo rumores. As legiões romanas destruíram a outrola bela cidade. Eles salgaram a terra para prevenir qualquer Cainita fundido com o solo de subir novamente, e queimaram toda a biblioteca — mais que meio milhão de volumes — que haviam sido o orgulho de Cártago. Quase todos os Brujah foram destruídos, e os poucos sobreviventes passaram a nutrir um ódio amargo e eterno por aqueles que destruíram sua cidade.
Quando Cartago caiu, Menele estava fora tentando recrutar ajuda dos Gangrel da África do sul. Ele retornou a sua cidade e encontrou apenas ruínas. De coração partido, fugiu para as florestas da Europa ocidental, repudiando eternamente cidades e civilizações. Ele quebrou este juramento depois de alguns séculos, quando ouviu de um Gangrel encontrado ao acaso, a respeito de uma bela Toreador governando Pompéia.
Sabendo em seu coração que esta só poderia ser Helena, ele visitou Pompéia secretamente. A visão de Helena governando a cidade romana e as memórias amargas da destruição que ela trouxera para Cártago eram como uma estaca em seu coração.

Naquela noite, Menele voluntariamente entrou em seu primeiro frenesi em mil anos. Sua ira, junto com um ritual Taumatúrgico, invocou um espírito do fogo sobre a cidade; ele voou gritando pelas ruas, livre pela primeira vez em séculos. O solo tremeu, o céu parecia ter sido aberto, e o fogo desceu sobre Pompéia. Todos foram destruídos. Menele só escapou lançando-se no porto.
De alguma forma Helena também sobreviveu a destruição de Pompéia. Por mais de doze séculos os dois vampiros lutaram, mas nenhum conseguia desferir o golpe final. Infelizmente para Menele, Helena lentamente ganhou vantagem conforme seu carniçal Prias crescia em poder. Menele precisava de uma chance para reunir suas forças, ou ela certamente prevaleceria. Lendas fenícias de uma terra para o oeste o incitou a enganar Helena em pensar que ele havia sido destruído; Lacaios de sua confiança levaram seu corpo a bordo de um navio especialmente preparado e velejaram para o oeste para uma terra nova e desconhecida.
Uma vez nesta nova terra, Menele começou a moldar os Incas em uma força capaz que destruir seu inimigo, mas conforme o tempo passava, foi tomado pelo sentimento de que a antiga rivalidade era nada além de um fardo inútil em seu espírito. Por fim ele rejeitou seu desejo de vingança, e criou uma civilização de grande profundidade.Com o tempo, ele começou a sonhar em criar uma nova Cártago.

Então ouviu falar de recém-chegados que saqueavam as cidades Maias ao norte, e descobriu que eram europeus — ele descobriu com tristeza — liderados pela própria Helena. Ele tentou fortalecer seus seguidores, mas  sabia que sua causa estava perdida. Os conquistadores de Helena tiveram pouco trabalho devastando seu vasto império, e Menele fugiu para o norte escondendo-se entre os Pueblos.
Uma vez mais, ele preparou seus seguidores para batalha, mas o tempo passou e Helena não veio. Mantendo a improvável esperança de que as batalhas teriam terminado, Menele passava cada vez mais tempo contemplando do enigma de sua existência. Ele buscou a Golconda, mas logo antes de alcançar seu prêmio, Helena retornou e ele foi forçado a fugir mais uma vez. Ele seguiu seu caminho ao norte para as margens de um imenso lago. Apesar de toda preparação, suas tribos não estavam prontas contra os europeus bem-armados quando a inevitável batalha chegou.
Este foi um ponto de mudança para o conflito. Menele e Helena finalmente se enfrentaram diretamente; ambos foram gravemente feridos, e caíram em torpor, tendo de confiar em seus seguidores para os proteger e dirigir seus feudos. Tem sido assim durante os últimos 250 anos.

Clã: Brujah
Senhor: Troile
Natureza: Visionário
Comportamento: Arquiteto
Geração: 4ª
Abraço: 1200 AC. (nascido em 1240 A.C.)
Idade Aparente:30 anos
Físico: Força 8, Destreza 7, Vigor 6
Social: Carisma 6, Manipulação 7, Aparência 5
Mental: Percepção 7, Inteligência 9, Raciocínio 8
Talentos: Prontidão 5, Briga 8, Esquiva 8, Liderança 8, Subterfúgio 4
Perícias: Empatia com Animais 5, Etiqueta 5, Armas Brancas 7, Música 5, Furtividade 5, Sobrevivência 9
Conhecimentos:Arquitetura 6, Linguística 9, Medicina 5, Ocultismo 9, Filosofia 7, Ciência 3
Disciplinas:Animalismo 5, Auspícios 6, Rapidez 9, Dominação 6, Fortitude 6, Ofuscação 2, Potência 8, Presença 5, Metamorfose 5, Taumaturgia 7 (Controle  Elemental 5, Manipulação espiritual 5, Movimento da Mente 4, Sedução das Chamas 3)
Antecedentes: Influência 4, Lacaios 3
Virtudes: Consciência 5, Autocontrole 5, Coragem 5
Moral: Humanidade 10
Força de Vontade: 10

Observações: Este poderoso cainita permanece em torpor. Portanto, suas estatísticas só importam se ele de alguma maneira despertar. Se isso acontecer, ele não recuperaria imediatamente toda sua força, estaria substancialmente mais fraco. Porém, todas suas Disciplinas ainda funcionariam com força total.
O nível extra de Auspícios de Menele o permite estar ciente dos eventos a seu redor mesmo em torpor. Assim, seus os sonhos estão cheios de imagens de coisas que podem afetá-lo, mas são freqüentemente difíceis de interpretar. O nível extra de Dominação lhe permite usar os outros níveis sem a necessidade de contato visual — apenas um toque é necessário. Finalmente seus dois níveis extras de Taumaturgia o permitem acesso a rituais poderosos que o permitem invocar e controlar espíritos e elementais, mas ele precisa estar acordado para executá-los.

Imagem: Um corpo deitado e reto, com a pele tão dura quanto pedra.
Refúgio: Meneleus move-se freqüentemente usando seus Lacaios para transportá-lo. Por muito tempo esteve profundamente enterrado debaixo da estação ferroviária, mas recentemente foi exumado para ter mais proximidade com alguns de seus seguidores.
Dicas de Interpretação: Você está em torpor. Você não pode se mover ou falar.
Segredos: A+
Influência: Menele controla muitos dos vampiros de Chicago, diretamente ou indiretamente. Ele é o segundo indivíduo de maior poder na cidade — um pouco atrás de Helena - mas ninguém mais equipara-se em poder. Seus Lacaios atuais são membros de uma família Nativa Americana que o tem servido satisfatoriamente por mais de um século.

Chicago bt Night - págs 62,63 e 64 

Nota: mais um matusa pra nossa coleção

Nenhum comentário:

Postar um comentário