sábado, 14 de julho de 2012

Ferox, o anátema


Glasses Man, you always dance in the night
You are looking for protection
of your interior light

-Ken Laszo, Glasses Man



Ferox

Sua vida

      Nas florestas da Britânia, enquanto Nero contemplava sua própria divindade em Roma, uma tribo Celta conhecida como Iceni estava lamentando a morte de seu rei. Sua rainha, Boudicca, fez todos os preparativos para que todos os seus filhos estivessem presentes, incluindo Ferox, o qual fora criado por um plebeu e cuja existência fora mantida em segredo do rei. Como um sub-rei do império romano, o rei Prasutagus deixou em testamento metade de sua riqueza para Nero e metade para suas duas filhas.
      Os oficiais que chegaram de Roma arrogantemente calcularam a riqueza do falecido monarca, tratando a Boudicca e a seus filhos como se fossem bárbaros. Boudicca, uma mulher de pavio curto, mandou cercar os oficiais quando estes se recusaram a honrá-la como soberana dos territórios de seu falecido marido. Suas objeções fervorosas foram respondidas com açoitamento em público e com o estupro de suas crianças
      Irados, a tribo vizinha conhecida como Trinovantes, os quais também haviam sido privados de suas terras, se reuniram preparados para a batalha e vieram em auxílio a Boudicca. Com uma vontade de ferro, Boudicca e seu filho resistiram em sua grande biga, espalhando as chamas da rebelião por toda a zona rural. Ferox protegeu sua mãe com sua vida, sem esperar nada em troca. O primeiro alvo foi a cidade romana de Camulodunum, a qual, sem guarnições militares, tombou para os Celtas. Seus 2000 habitantes foram queimados dentro do templo incompleto da cidade, uma construção dedicada ao falecido imperador Claudius.
      Os Brujah estavam adorando observar a rebelião sangrenta. Eles enviaram espiões para observar os problemas que o exército Celta estava causando para Roma e para os clans que a governavam. Boudicca continuou sua jornada até Londres, destruindo pelo caminho os Celtas que simpatizavam com Roma. Quando tomaram a cidade, alguns líderes se permitiram ser incitados por vampiros Brujah. Eles ordenaram que mulheres romanas fossem empaladas e colocadas diante de altares de adoração. Posteriormente os Brujah de Londres pagariam um enorme preço por sua intromissão; as forças ensandecidas de Boudicca não se contentaram com este sacrifício humano, também saquearam a cidade e a queimaram até só restar cinzas.
      Inebriada com o sucesso, Boudicca em seguida marchou para a cidade de Verulamium, onde seu filho Ferox liderou um grupo de guerreiros e queimou completamente a cidade. Ainda que sua fúria ardesse a todo vapor, a rebelião de Boudicca em breve estaria condenada a despeito da ajuda dos Brujah. Um pequeno exército de 13000 soldados, liderados pelo brilhante general romano Suetonius Paulinnus, desafiou a rainha dos Iceni. Seus comandantes Ventrue e Lasombra cuidadosamente usaram sua taumaturgia para atormentar os celtas com mau tempo. Numa batalha contra 220.000 celtas, as forças romanas em menor número sobrepujaram inimigos indisciplinados e aniquilaram seu exército.
      Boudicca fugiu diante dos romanos conforme estes avançavam. Os Brujah, sabendo que os romanos domariam o resto das tribos rebeldes, decidiram salvar tudo o que fosse possível. Em grande destaque em sua lista de prioridades estava a própria Boudicca, a quem queriam dar o Abraço. Como uma vampira ela seria capaz de manter a chama da rebelião ardendo na Britânia.
      O grupo de anciões Brujah chegou, mas a ferocidade do jovem que guardava a rainha era formidável. Ele os manteve afastados, mas acabou cedendo quando suas forças acabaram. Os Brujah levaram a pior em relação ao prêmio que desejavam – Boudicca conseguiu se envenenar para não se submeter a uma captura pelos romanos. Entretanto, impressionados com a coragem do rapaz, os Brujah o amarraram e o trouxeram consigo.
     Eles os levaram para a ilha de Mona, onde haviam reunido um grande grupo de dissidentes sobreviventes. Ali Ferox se tornou um carniçal guardião dos anciões do clan e assim permaneceu até que a ilha foi conquistada pelos seus inimigos romanos. Na batalha de Mona, Ferox novamente lutou com ferocidade insana, despedaçando seus inimigos soberbos em seu excesso de confiança. No fim das contas os inimigos Ventrue se mostraram muito poderosos e Ferox novamente foi capturado. Ele teria sido morto se um astuto malkaviano não o tivesse reconhecido como sendo filho de Boudicca. Ele foi levado até os anciões Ventrue, que procuravam informações sobre seu clan rival, os Brujah. Ferox não diria nada.

      A despeito da falta de cooperação (a qual os Ventrue consideraram curiosamente nobre), Ferox os convenceu de que poderia ser fiel a eles. E novamente assumiu o papel de defensor. Sendo imune ao laço de sangue, as sucessivas tentativas de laçá-lo ao sangue ficaram disfarçadas por causa por seu próprio código de conduta, o qual ganhou a confiança dos Ventrue.
       Nos últimos dias da velha república, Ferox se converteu ao cristianismo. Os Ventrue decidiram inserí-lo na incipiente igreja para ser um observador. Eles toleraram suas práticas religiosas pessoais, as quais acreditavam ser isentas de qualquer fé real, e apenas uma necessidade para seu novo serviço de infiltração. Conforme Roma passava para as mãos de imperadores cristãos, se tornou imperativo para os Ventrue entender as mudanças que esta religião causaria.
      Sob vários disfarces, Ferox se tornou parte da igreja, e estudou todas as suas facetas. Mantido como imortal além de seu tempo natural, sua lealdade agora era paga com a vitae necessária para sustentá-lo. Ferox leu escrituras Gnósticas e de conhecimento rabínico, pesquisas sobre anjos e textos de demonologia. Sua fé começou a crescer. Conforme a igreja florescia, ele se certificou de que diversos sacerdotes fossem submetidos ao laço de sangue virando carniçais para assegurar sua lealdade aos Ventrue.
      Na medida que sua fé crescia, sua lealdade dividida o incomodava cada vez mais, mas no fim ele não trairia seus mestres. Entretanto ele testemunhou os abusos dos Membros, e frequentemente os avisava de que a igreja começaria a unir a humanidade contra os mortos vivos se estes não parassem com a exploração. Os Ventrue o ignoraram, atribuindo os avisos à lavagem cerebral da igreja. Eles imediatamente o destituíram de sua posição e novamente fizeram dele um guarda para os anciões. Isto sem querer salvou sua vida, quando a igreja começou sua purificação interna contra influências sobrenaturais.
      Suas previsões acerca da Inquisição posteriormente assombrariam os Ventrue, mas não até que ele estivesse bem longe de seu alcance.

Sua Não Vida

      Ferox serviu os Ventrue apenas por um curto período de tempo depois de ter sido negociado com os Tremere. Seus líderes haviam já a algum tempo observado seu envolvimento com a igreja e estavam impressionados com os rumores de sua lealdade inabalável a qualquer um que ele servisse. Ele parecia ser a cobaia perfeita para um experimento de produzir um gárgula mais inteligente e versátil, uma que não seria suscetível a Dominação. Entretanto, quando estavam prestes a submetê-lo aos rituais e fluidos mágicos, o Círculo Interno descobriu o experimento. Percebendo o perigo que tais gárgulas inteligentes representariam a seus próprios mestres, eles ordenaram o fim do experimento. Entretanto, ao perceber a abrangência do conhecimento oculto de Ferox, decidiram mantê-lo como carniçal conselheiro em assuntos sobre o cristianismo.
      A lealdade de eras de Ferox finalmente chegaria a um fim. Os abusos dos Tremere, sobretudo aos gárgulas, ficavam piores a cada ano. Ele sentiu compaixão por estas monstruosidades deformadas, cuja mortalidade era arrancada pelo beijo de outra gárgula ou pela criação em líquidos quentes e borbulhantes, como eternos escravos. Ele finalmente não conseguia simplesmente sentar e observar a repressão.
      Por fim ele ajudou a organizar a revolta das gárgulas, tendo conseguido conquistar sua confiança. Em troca de sua liderança, as gárgulas o ajudaram a escapar da fortaleza Tremere.
      Ele estava para descobrir a força sinistra que o sangue Tremere exercia sobre si. Ferox começou a envelhecer a uma taxa alarmante, fazendo com que as outras gárgulas, com uma perversa gratidão, ao abraçassem antes que sua mortalidade o esmagasse como a um inseto.
      O abraço transformou Ferox. Ele perdeu muitas de suas memórias e muito de sua identidade, contudo algumas coisas estavam tão enraizadas que nem mesmo o sangue das gárgulas conseguiu erradicar. Através do nevoeiro de memórias e mitologia dos anos de estudo religioso, ele chegou a conclusão de que era um dos anjos que haviam caído do céu, e que deveria redimir a si mesmo e a outros que haviam caído com ele.
      Sua fé começou a crescer a uma taxa verdadeiramente miraculosa. De todos os gárgulas, ele era a que possuía a mente mais sagaz, e elas insistiam que ele as liderasse. Quando a inquisição surgiu tal como ele havia previsto, Ferox se escondeu juntamente com alguns outros, arriscando sair apenas para se alimentar. Quando ele encontra com os Nosferatu, vê sua falta de asas como um símbolo de que eram líderes angelicais da revolta do céu. Estes, ele acredita que não podem ser salvos. Ele começou sua campanha pessoal para o extermínio destes “demônios”.

Seus propósitos

      Ferox é uma gárgula anciã. Conforme envelhecia por falta de vitae cainita, se tornou um albino, sua forma de gárgula ainda carrega esta característica. Sua pele é de cor cinza claro, suas asas são enormes e seus olhos são rubros como o próprio sangue. Ele vê a si mesmo como um espírito exilado do céu que pode encontrar redenção e retornar ao paraíso. Ele acredita que ganhará novamente uma bela forma angelical e a proximidade eterna com deus como recompensa por seus serviços.
      Ele vê a todas as outras gárgulas como sendo Grigori (observadores) que se rebelaram junto com Satanás, estes são os únicos Membros que ele tentará trazer até deus e “salvar”. Todos os outros vampiros são vistos como demônios criados por Satanás (Caim?), que se opõem a vontade de deus e precisam ser destruídos. Ele tem uma vendetta especial contra os nosferatu; sem asas eles são incapazes de voar para o céu, para Ferox isto é um sinal de que estão além da possibilidade de redenção e devem ser despedaçados sempre que forem encontrados.
      Aonde quer que encontre gárgulas, Ferox tentará convertê-las. No momento ele dispões de poucas outras que crêem da mesma forma que ele crê, e este culto está se preparando para uma guerra contra os outros membros, a ser travada durante a Gehenna. Eles acreditam que a Gehenna em si na verdade é o Apocalipse mencionado no livro de revelações. Entre estes, existem 6 gárgulas que formam um conselho, similar ao conselho interno dos Tremere, e estas acreditam que são anjos dos últimos dias, aqueles que quebrarão os selos e trarão ao homem os sinais da vinda de cristo.

Seu Modus Operandi

      Ferox também está tentando se aproximar da igreja para ser o seu protetor, embora esteja ciente de que ela certamente tentaria destruí-lo por causa de sua forma externa. Com este objetivo ele procura homens e mulheres santos que tenham conexões com a igreja e que possam agir em seu benefício e levá-lo ao meio secular. Ele viaja para todos os lugares, da mesma forma que fazem os Observadores, para recrutar estas pessoas. Ele muda seu refúgio a cada noite. Gárgulas que meramente o sigam, recusando se converter a sua religião, ainda assim são aceitas em suas fileiras. No fim das contas elas encontrarão o perdão pelo fato de seguí-lo. Sua linhagem pode ser a única onde vampiros mais antigos se submetem e são governados por um indivíduo mais fraco. Seu intelecto é seu maior recurso.
      De forma interessante, Ferox considera a salvação da humanidade como algo separado de seu destino. Embora ele ajudará a redimir a humanidade (pois este é o plano de deus), dá mais atenção a seus próprios problemas. Ele vê a si mesmo e a seus seguidores como forças sobrenaturais que lutarão contra os servos do inferno quando a Gehenna ocorrer.
      Ele não cometerá diablerie em hipótese alguma, ele não deseja a corrupção dos “demônios” em suas veias. Ele mantém esta proibição aos outros Observadores. Qualquer um que traia esta tradição recebe uma morte rápida. Ferox poupará a maioria dos neófitos, pois sente que estes foram trazidos a esta existência amaldiçoada contra sua vontade e que ainda podem ser afastados de Satan. Além disso ele percebeu que neófitos podem ser úteis para fazer contatos que estejam além do alcance de mortais.
      Sua fé é tão intensa que uma luz ofuscante emana de seus olhos albinos. Qualquer que seja a fonte desta manifestação mística, Ferox sempre usará óculos escuros para escondê-la. Os rumores de que a luz de seus olhos incendiou vampiros, são falsos – mas ela manterá vampiros sem fé verdadeira a distância. Ele também usa brincos em forma de cruz e rosários. Qualquer vampiro que encontre Ferox sem que este esteja usando seus óculos precisa fazer uma jogada de Força de Vontade (dif 9) ou será incapaz de se aproximar dele.

Seus Crimes

      Os Tremere nunca admitirão sua participação na revolta das gárgulas. Eles secretamente temem a Ferox como temem a pouquíssimas criaturas. Eles notaram a destruição de Nosferatus, embora tenham tentado manter o fato em sigilo fora do clan. Os ventrue constantemente alertam os Tremere para não subestimá-lo, pois ele trará uma nova Inquisição se tiver sucesso em seus planos. O Justicar Ventrue e seus arcontes trabalham incessantemente para manter o rastro de Ferox e dos outros Observadores. Eles acreditam que a ameaça futura que as gárgulas representam pode ser anulada apenas com a destruição de Ferox.
      O sabá conhece bem a Ferox e o vêem como uma arma potencial na Jyhad, especialmente se puderem trazê-lo para seu lado. Dois arcebispos na seita estão discutindo a possibilidade de trazer Ferox para a seita, sob o pretexto de curiosidade religiosa, para então usá-lo na hora certa como um inimigo da camarilla. Muito mais sobre Ferox precisa ser aprendido, antes que o Sabá tente recrutá-lo. Os membros mais jovens da seita o caçam e são frequentemente mortos pelo Gárgula e seus companheiros.

Clan que o caça

      A camarilla ficou surpresa quando os nosferatu clamaram direito sobre a cabeça de Ferox, buscando apoio dos Ventrue para assegurar este direito. Isto foi uma grande revelação do quanto eles vem sofrendo por causa do gárgula. Os Ventrue descobriram que a fé de Ferox aumentou. Existem rumores de que a “luz sagrada” que emana de seus olhos incinera vampiros. Isto deixou os Ventrue muito preocupados. Os Ventrue estão tentando confirmar este e muitos outros rumores.

Ferox

Clan: Gárgula

Senhor: Rocia
Natureza: Juiz
Comportamento: curandeiro
Geração: 8a
Idade aparente: Indeterminado
Físicos: Força 5, Destreza 5,Vigor 5
Social: Carisma 5, Manipulação 3, Aparência 0
Percepção 5, Inteligência 4, Raciocínio 5
Virtudes: Consciência 5, autocontrole 5, Coragem 5
Talentos: Prontidão 3, Briga 5, Diplomacia 4, Esquiva 4, Empatia 3, Intimidação 4, Instrução 3, Liderança 5, Manha 2
Habilidades: Empatia com animais 3, escalar2, Interrogação 3, Meditação 3, Armas Brancas 5, Investigação , Furtividade 5
Conhecimentos: História da Arte 2, Arquitetura 5, Burocracia 5, História 3, Direito 2, Linguística 5,Literatura 5, Ocultismo 1 , Filosofia 1, Teologia 5
Disciplinas: Animalismo 4, Auspícios 2, Rapidez 4, Dominação 3, Fortitude 5, Obeah 4, Ofuscação 2, Potência 5, Metamorfose 2, Viceratika 5
Antecedentes: Aliados 5, Contatos 3, Rebanho 2
Humanidade 9
Fé Verdadeira 9
Força de Vontade 10

Imagem: Ferox é um gárgula de cor branca de asas imensas e olhos albinos de cor rosa que brilham com a luz de sua fé. Ferox mantém seus olhos escondidos com óculos escuros. Ele tem chifres espiralados em sua cabeça, uma boca pequena e queixo pronunciado. Ferox geralmente veste uma túnica adornada em púrpura, um colar de crucifixo e/ou brincos em forma de cruz.

Citação: “Deus é o único ser que não bebe sangue. Obedeça a lei de deus para que ele não envie seu julgamento”

Dicas de Interpretação: Você está constantemente entristecido com a corrupção do mundo. Você é paciente e não irá ferir muito a neófitos, a não ser que pareçam inclinados a destruí-lo. Ajuste seus óculos o tempo todo.

Refúgio: Sempre igrejas. Ferox muda de refúgio toda noite, embora possua diversos refúgios permanentes.

Influência: Considerável entre as gárgulas, e aumentando noite após noite.

Rumores: A luz dos seus olhos queima vampiros (F); Você é um demônio (F); Os Baali o criaram (F); Você tem uma vendetta contra os Nosferatu (V); Nenhum vampiro pode se aproximar de você (F, mas a maioria irá considerar difícil, devido a sua fé)

Traduzido por Acodesh, do Kindred Most Wanted págs 51 a 55.


2 comentários:

Thamires disse...

Nossa! E eu aqui, sempre menosprezando as Gargulas. =//

Luk Ygnos Maxuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário