sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Resumo do Romance de Clan Gangrel

O 3o capítulo da saga. Os gangrel se reúnem para enfrentar o suposto antediluviano.

      *By Acodesh*

      Aos que não sabem, na comunidade do orkut eu já havia resumido cena por cena os 2 primeiros romances. Justamente por esta razão irei começar do 3o em diante.

      ROMANCE  GANGREL

      Parte um: Rochas

      Quarta-feira, 7 de Julho de 1999
      Um cortiço no Harlem
      Cidade de Nova York


               A personagem Zhavon, bem como a vizinhança em que esta vive, são apresentados. Zhavon é uma típica adolescente rebelde de 14 anos que julga equivocadamente saber muito sobre a vida. Ela mora com a mãe num bairro pobre onde a vizinhança não era lá um exemplo a ser seguido.
              Na noite em que se passa a história, Zhavon decide se aproveitar do sono da mãe, que precisava acordar às 5 para pegar o metrô, e sai de casa pela janela, para se encontrar com o namorado. Ela passa pela janela, desce as escadas cuidando para não ser vista pelos vizinhos. Na descida, pega uma garrafa de cerveja deixada por um vizinho que bebia e batia na mulher e prova do líquido, assim como fazia qd uma de suas amigas roubava meia dúzia de cervejas do pai para beberem. Zhavon não gostou do sabor do líquido, deitou a garrafa enquanto se perguntava como alguém poderia gostar daquilo.
              As escadas acabam uns 3 metros do chão. Zhavon não podia abaixar o último lance de escadas para não alertar os vizinhos com o barulho. A menina se pendura e se solta para cair no beco. Mais tarde subiria pelas calhas. Na queda, ela apoiou a mão em cima de uma chapinha de cerveja virada com os dentes para cima, que ficou fincada em sua palma. A menina arranca a chapinha e o sangue surge em sua mão.
              Apesar do grito de dor, Zhavon sabia que não havia ninguém ali para ouví-la, entretanto tinha a sensação de que alguém a observava. Uma sensação que a acompanhava algumas vezes mesmo quando estava sozinha em seu quarto.
             Zhavon novamente pensa em seu namorado (Adrien). Ficamos sabendo que o irmão dele controla a entrada de uma espelunca e por este motivo, tanto ele como Zhavon podiam entrar, já que não tinham idade para entrar normalmente. A menina atravessa vários lugares perigosos pensando o que diria para o namorado de modo que ele nao se "achasse" demais pelo fato dela ter ido vê-lo daquela forma. Zhavon não queria ser tratada como uma qualquer.
              Para completar, Zhavon se lembra de uma briga que teve com a mãe por causa do rapaz. A mãe dizia que ele era maconheiro, ladrão de carros. Diz que conhece o tipo, mas Zhavon não ouve, acha q a mãe está errada.
               Distraída com estes pensamentos, a menina tomba com um homem maltrapilho. Este homem a agarra, tampa sua boca e a arrasta para o fundo do beco escuro. Zhavon se debate, mas ouve um barulho de canivete sendo aberto, e percebe que o homem tem um comparsa, um que vinha com um sorriso depravado.  Zhavon sente o membro rijo do homem contra suas nadegas enquanto coloca as mãos por dentro de sua camisa. Seu comparsa, com a lâmina no pescoço dela, abre o cinto de Zhavon e coloca suas mãos por dentro da calça da menina, mas Zhavon resistia juntando os joelhos. Frustrado, o homem dá um soco no olho da moça, que perde todas as forças. Neste estado ela mal percebe que suas calças estavam arriadas até o joelho. O primeiro homem segura os mamilos da moça entre os dedos. Zhavon implora para que não a matem, mas sabe que não a deixariam viver para chamar a polícia.

               Neste momento Zhavon se lembra de sua mãe, que acreditava que ela está no quarto naquela noite.

               De repente, num movimento repentino e um rosnado... o comparsa desapareceu. A faca caiu no chão e depois foi possível ouvir o grito de agonia do homem. O primeiro atacante se assustou e momentaneamente  aliviou a pressão sobre Zhavon (o suficiente para a menina se soltar). Ela se vira e chuta a virilha de seu atacante com toda força, e ele cai ofegante. Segue-se uma série de grunhidos e rosnados ferozes acompanhados do som de alguma coisa sendo rasgada. Zhavon imagina que poderia ser roupas... ou a pele. Ela deduz que há um cão raivoso no beco, qd acredita ter visto o brilho de dentes caninos na escuridão.
            Seja lá o que fosse, se jogou sobre o primeiro atacante e lhe abafou os gritos com seus rosnados e próprios ataques. Zhavon sabia que precisava correr, mas estava paralisada - ela havia perdido a determinação. Tudo que ela conseguia fazer era se abraçar aos próprios joelhos balançando-se para frente e para trás, chamando pela mãe.
               Ela estremece quando o sangue do homem respinga e salpica-lhe o rosto.

               Não me mate, não me mate...
               Zhavon desmaia.

               A menina parcialmente desperta, ainda sonolenta consegue ver as escadas de incêndio de sua casa e uma garota não muito mais velha do que ela, que tinha sangue no rosto e se ajoelhava para lamber a palma da mão de Zhavon.
               Zhavon desmaia novamente.


               Qd Zhavon acorda de verdade, já é de manhã. Seu corpo todo doía e ela estava deitada do lado de fora da janela de sua casa. Estava viva! A menina percebe que o ferimento em sua mão desaparecera.

      Quarta-feira 7 de julho de 1999  21h39min
      Bronx
      Cidade de Nova York

               A personagem Ramona, acorda na escuridão e com um pontapé abre o porta malas no qual estava. O carro citado estava num ferro-velho gigante e pilhas de automóveis se acumulavam por todos os lados. Assim que Ramona sai do carro, 2 rotweillers raivosos espumando pela boca correm na direção dela com os dentes a mostra. Ela os recebe com um "Boa noite, meninos". E os cães se acalmam na mesma hora. Ramona os nomeara como Rex e Pirata. Ela fica tentada a passar uma noite aninhada com eles pq já estava de barriga cheia e não precisava se alimentar. Mas depois da noite passada algo a incomodava.
               Ela deveria se encontrar com Jen e Darnell mas não estava animada. Ramona afaga os cães mais uma vez e sai pulando por entre os carros até ganhar a imensidão de NY.
               Ramona conhecia pouco da cidade de NY, e nem queria conhecer. Ela vaga pelas ruas preocupada pq não consegue distinguir entre um vampiro e um humano comum, então se mantem afastada de todo mundo. Ela se recorda da gangue q achava ser de mortais, e da coisa nas algorobeiras no Texas e de como escapou por um triz.
             Subitamente uma mudança na brisa chamou sua atenção. Um cheiro fraco que Ramona reconheceu, embora não soubesse de onde, se fez presente por um pequeno período e logo em seguida desapareceu. Ramona se concentra para encontrar a fonte do cheiro misterioso, sem sucesso. Então decide correr na direção da brisa que o trouxe. A Gangrel corre por vários quarteirões, como o vento não cooperava ela encontraria a fonte por si mesma.
               Os quarteirões foram ficando pra trás. Os mortais não a podiam ver pois ela se movia numa velocidade absurda. Num momento a Gangrel se deteve e ficou cheirando o lugar, mas o cheiro desaparecera. Ela reflete um pouco sobre este estranho evento mas logo deixa isso de lado. Ramona percebe que está num bairro conhecido. O trajeto não fora intencional, mas ela já havia estado ali por inúmeras noites. O cheiro do sangue chamava a atenção, pois ninguém se preocupou em lavar a calçada já que ninguém se lamentava por aqueles dois homens. Ramona passa pela fita da polícia bem depois de escutar o zumbido das moscas. Ela se recorda de como perdeu o controle com aqueles dois. A Gangrel passara várias noites observando Zhavon, admirava a rebeldia da menina. Movida pelo instinto da caça, ela seguiu Zhavon naquela noite qd outros predadores a atacaram. Isso a fez entrar em frenesi. Mas ramona não queria sangue, somente dilacerara os dois.

             O sangue de ambos jorrando a aplacou.

             A menina, antes forte e rebelde teve sua invulnerabilidade destroçada, expondo a vítima até então oculta. Ramona viu e a compreendeu.

             Pela segunda vez na noite a Gangrel corria, refazendo o trajeto daquele dia, agora sem a carga que carregara. Ela chega na janela de Zhavon e esquadrinha a escuridão com seus olhos rubros para ver a menina. Ela estava machucada e agarrada a um lençol, como se ele pudesse protegê-la. Mas Ramona sabia  muito bem que proteção completa não existe.

      Quinta Feira, 8 de Junho de 1999, 2h 15min
      Um cortiço do Harlem
      Cidade de NY

             Os olhos de Zhavon abriram, mas ela ainda estava com sono. Tinha escoriações por toda a parte e não conseguia deixar de pensar na garota, duvidando que suas lembranças sejam corretas. Tem a sensação forte de que está sendo observada mas decide ir dormir.

      Quinta feira, 15 de Julho de 1999 1h 21min
      Capela dos 5 Distritos
      Nova York


             O personagem Johston Foley é apresentado, com todo seu esmero, sua atenção aos detalhes, sua mente ordenada, sua rigorosa disciplina, seu escritório meticulosamente arrumado e ordenado. Ele estava fazendo uma lista com uma caneta, se recordando de como era melhor usar bico de pena em pergaminhos de verdade como fazia antigamente. Mas Johston não precisava de uma lista pq sua memória era infalível.
            Uma batida forte soou à porta de Johston. Como esperava aquela batida há 10 min, deixou o ar de desaprovação se fazer notar e só dizer "entre".
              Jacqueline, aprendiz Tertius do clã Tremere entrou na sala com recato, ela era uma mulher madura e ex-professora universitária, acostumada a falar com autoridade aos alunos mas que agora recebia ordens de quase todos no clã. Ela não havia se adaptado muito bem a isso.

             - Está atrasada - disse Johnston.

             - Eu estava ajudando Aaron com sua incumbência - disse Jacqueline de olhos baixos.

             - Eu pedi alguma explicação? - disse Johston.

             - Não - ela disse.

             Johston estreita os olhos e pergunta se aquilo era modo de se dirigir a um superior.

             Jacqueline ficou paralisada ao perceber a quebra de decoro e disse "Nao, Regente Secundus".

              Um aprendiz do terceiro círculo não deveria cometer esses erros, Johnston considera a idéia de açoitá-la e em último caso recomendar à Sturbridge que ela seja eliminada. Uma pena, pois Jacqueline demostrava um potencial ilimitado. Depois de deixar que a professora ficasse angustiada por uns momentos, Johnston a entrega a lista que fizera. Era uma lista de materiais que precisava para um ritual a ser realizado na semana seguinte. Foley diz que tudo deve estar providenciado na manhã do dia 22. Jaqcueline examina a lista e logo em seguida Foley estende a mão para que ela a devolvesse. Ela relutantemente o faz.
              Foley a dispensa e Jacqueline vai embora. Johnston a deu tempo suficiente para memorizar os itens, (pelo que o texto sugere, só alguns segundos) e julgava que se ela não conseguisse memorizar, era falha dela e seria responsabilizada por isso. Mas Foley não tinha intenção de deixar que a possível incompetência de Jacqueline interferisse no ritual iminente. Ele inspecionaria o trabalho dela, até pq uma falha da aprendiz recairia sobre ele aos olhos de seus superiores.
              Foley pega a lista e reflete sobre sua sala apertada. Sabia q não era uma desfeita pq NY era uma cidade muito disputada pela Camarilla e o Sabá e não havia espaço para expansão. Toda a energia dos Tremere estava sendo empregada na defesa. Além disso, havia muitos aprendizes vivendo na capela, Foley era obrigado a viver em contato com neófitos como Jacqueline e Aaron. Era assim na capela dos 5 distritos, uma das poucas a ter 2 regentes. O seu valor estratégico superava o que a faltava em área.
              Em seu laboratório, Foley se voltou para o pequeno baú de madeira com uma flor-de-lis incrustada na tampa, que brilhava debilmente. Este baú era o motivo do ritual cujos itens confiou a Jacqueline. Dentro do baú havia uma joia vermelha com pólos negros q brilhava e emitia calor. Esta joia fora dada a ele por Sturbridge para q Foley fizesse algumas experiências, embora fosse considerado um item de baixa prioridade, que emitia uma aura mágica, assim como muitas outras bugigangas sem valor que chegavam às mãos dos Tremere. Pra resumir, a joia ficou guardada esquecida pq não tinha importância.

              Mas tudo mudou 3 semanas antes.

          Foley havia entrado em seu laboratório e o lacre do baú estava rompido, sua tampa tb estava escancarada. A joia pulava com energias sobrenaturais impressionantes. Foley examinou a pedra, mas ela logo voltou a seu estado de dormência. Johnston passou a verificar a pedra periodicamente, e na noite anterior ela voltara a sua atividade, com suas energias ardendo intensamente.
             Foley pega a lista que fizera pra Jacquieline e joga num braseiro, depois acende o fogo. Pega uma vela púrpura e acende o pavio nesse mesmo fogo. Com a vela acesa, Foley se volta para o baú e dá início a um encantamento que consistia em ver a distância da aura da joia. Feito o ritual, ele chega a conclusão que a aura mística aumentou 4 cm e meio em relação a noite anterior. Com esse aumento de potência diária, seria preciso antecipar em muitas noites o ritual.
              Mas essa era uma decisão que ele não deveria tomar até que Sturbridge retornasse. Ela fora chamada para uma reunião do conselho em Baltimore, por causa do aborrecimento com o Sabá no sul. Johnston via isso como uma perda de tempo com a Camarilla implorando ajuda, e que os outros clãs só se voltaram contra os Tremere uma vez que o problema tivesse sido superado.
              Johston guarda a pedra para monitorá-la mais tarde, a pequena joia poderia revelar segredos capazes de render a Foley sua própria capela.

      Quinta-Feira 15 de julho de 1999 23h44min
      Uma gruta subterrânea

              Uma figura solitária aparece, acompanhada apenas de uma luminária. Os dedos com garras digitavam nervosamente na máquina de escrever, até q num determinado momento, a pessoa decide escrever a caneta por causa de um problema na máquina.

      Sexta Feira, 16 de julho de 1999, 23h03min
      Avenida Piedmont
      Atlanta Georgia

              Tudo bem que Leopold é um personagem chato pra carai, mas essa cena com ele é tão chata, mas tão chata que dá vontade de dormir. Ele fica vendo uma ilusão na personificação de uma musa  que fala com ele... depois fica pensando na morte da bezerra, depois pensa no Olho, em Victoria Ash.. ele trabalhava para tentar esculpir algo magnifico para que vissem a grandeza do artista que havia nele (coitado!). Ele trabalhou por dias sem parar até que terminou... e ficou insatisfeito pq fez uma imitação grosseira da beleza que vira em seus devaneios.

              Aí a musa de suas alucinações dá uma risada zombeteira.

              Em seguida Leopold dá uma CHILIQUE, e ataca a obra na qual havia trabalhado por semanas com um martelo, quebrando até os pedacinhos de cascalho até só sobrar um pó fino.

              Leopold volta a conversar com sua musa ilusória, e ela lhe dá "enigmas". Posteriormente já meio maluco ele esculpe a partir de um corpo que estava em seu ateliê, mas qd termina sua visão dá um giro e ele vê pedaços de carne espalhados e moscas voando sobre a carniça. A sua musa estava decepcionada.
              O toreca dá outro chilique, ataca novamente o que havia tentado esculpir e imagina que seu fracasso era em função das ferramentas mundanas que usava, cinzel e martelo.

              A musa pede para que ele o siga, e assim o Toreador o faz.

      Sábado, 17 de Julho de 1999 3h
      Ponte George Washington
      Nova York

              Ramona engatinha na parte de baixo da ponte. Ela ainda se surpreende com o que seu corpo é capaz de fazer. Solta as pernas e mal sente a diferença d peso em seus fortes braços. Depois solta uma mão e mesmo assim não sente muita coisa. Em seguida fica num único dedo, que era mais do que suficiente para segurá-la com confiança. Por muito tempo ela se considerava invencível, mas o lobisomem com quem encontrou e que matou Eddie, a provou que não era bem assim.
              Ramona segue seu percurso e perto da margem se joga de uns 10 metros de altura e cai como um gato. Algo em seu pé a incomodava, mas não havia sinal de dano aparente no tênis.
            Subitamente alguém a surpreende, um homem numa motocicleta. Ramona sabia que pouco eram capazes de surpreendê-la, e os que podiam geralmente significavam problema. Num instante o motoqueiro sumiu de onde estava e apareceu diante dela. Tal incrível velocidade confirmava as suspeitas de ramona, era outro vampiro.

              - Entããããão (alongando a palavra com um sorriso torto), tá preparada pra brincar com os meninos mais velhos?

              Ramona rosna para o cara, e este fica atento.

              -Quem diabos é vc? - pergunta Ramona.

              - A perguna é quem diabos é vc - já que vc não pertence ao Sabá, e aki é nosso território.

              Ramona tinha ouvido falar do Sabá qd saía de LA, mas não sabia muito bem sobre o que se tratava. Ela fica avaliando as capacidades do motoqueiro, tentando perceber quem era o mais forte.

           Mas o motoqueiro decide dar a ela tempo. Ele vai embora dizendo que qd voltar ela vai ter q acompanhá-lo, se não quiser é melhor não estar ali qd ele voltar.
              A Gangrel chega ao refúgio de seu bando. Se encontra com Jeny e logo depois com Darnell, comenta sobre o motoqueiro. Darnell comenta que tb viu outros vampiros no lugar e que os havia seguido. Mas diante dos protestos de Jeny, disse q ninguém o poderia ter seguido. Ramona acrescenta que Edie pensou a mesma coisa. O grupo discute um pouco até que a pesada porta de ferro de fecha sozinha com grande força. Os 3 pulam e se preparam pra tudo.
            Ramona sente novamente o cheiro de antes, misturado na bitucas de cigarro e no óleo do chão, e novamente o cheiro desapareceu antes que ela pudesse reconhecê-lo. A Gangrel e Darnell avançam pela escuridão em busca de inimigos, mas não encontram ninguém.
              Darnell diz que eles estão sozinhos, depois de investigarem as imediações. Ramona lembrando-se do cheiro diz que gostaria de que eles tivessem essa sorte.

      Sábado 17 de Julho de 1999 23h38min
      Um cortiço do Harlem
      Nova York

              Zhavon discute no telefone com uma amiga pq a mãe a mandaria pra outra cidade. No fim do debate ela decide se encontrar com sua amiga para um despedida.  A mãe mantinha vigília e não dormia fazia duas semanas.

      Domingo 18 de Julho de 1999 0h34min
      Um cortiço do Harlem
      Nova York

              Outra noite em que Ramona vigia Zhavon. A Gangrel sabia que a menina nunca a tinha visto a não ser no dia do quase estupro. Mas tb sabia que Zhavon muitas vezes percebia que algo a observava. Os barulhos de moto atiçavam Ramona, com receio de que pudesse ser o motoqueiro. Isso a fez lembrar que já havia deixado Jen sozinha muito tempo - ela compreendia os temores de Jen pq tb os sentia, mas a conexão que tinha com Zhavon era maior pq Zhavon é a humana que Ramona foi um dia - com a mesma teimosia e ingenuidade.
              A Gangrel observa a humana e vê a pulsação no pescoço - o frenesi quase a toma. Ramona se recorda que sentiu a mesma coisa no dia em q a garota fugiu, e se deu conta de que se os 2 bandidos não tivesse se metido ela mesma teria matado Zhavon. Ela não a havia salvado - seu instinto de predador em frenesi não tolerou que se metessem com sua presa.
              Ramona detestava perder o controle e afasta estes pensamentos. Ela cutuca os pés q a incomodava, cada vez mais, mas desta vez não iria suportar - acabou arrancando os sapatos - e seu desconforto passou - pois seus pés haviam mudado, e garras haviam crescido.
              Ramona podia fazer isso naturalmente, mas só qd queria - esta mudança não aconteceu por vontade da Gangrel, que ficou pasma.

              - Vc cedeu a besta - uma voz veio de baixo.

              Os pêlos da nuca de Ramona se arrepiaram e a Gangrel deu um pulo.

              Ramona esboça um rosnado mas com um gesto do estranho resolve se deter pra não acordar Zhavon. Ambos descem e Ramona quase ataca o estranho. Entretanto num último momento ele diz "quem vc deixará desprotegida?" . Isso faz Ramona ficar extremamente protecionista em relação a Zhavon.
              Numa distração, o estranho desaparece, e Ramona o segue pelo cheiro. Aquele mesmo cheiro que ela detectara outras vezes. Ramona segue o cheiro até seu refúgio. Ela entra arrebentando a corrente e arremessando a porta de metal longe. Darnell e Jen levaram um baita susto. Ramona busca o desconhecido olhando na escuridão.
              Nesse momento um carro em alta velocidade se espatifa na oficina, acertando Darnel. Ramona pula para o lado no último instante.
              O motoqueiro e mais 2 homens saem de outro carro, perguntando se Ramona quer mesmo brincar com os meninos mais velhos.

              Ramona tateou na escuridão e encontrou uma grande e pesada chave de boca. Com um movimento rápido ela a atirou na cabeça do intruso, que cambaleou um pouco com o impacto, mas não caiu e ao recobrar rapidamente o equilíbrio deu um sorriso maldoso, para espanto de Ramona.

              O intruso avança em direção a Ramona e de repente ouve-se um rugido bestial no local. Era Darnell q se lançava ferozmente contra os outros 2 atacantes mais atrás, derrubando a ambos. O motoqueiro que atacava Ramona por reflexo se vira pra olhar e a Gangrel aproveita a oportunidade e se joga em sua garganta. Ele pressentiu o ataque no último instante e conseguiu aparar o golpe, apesar de ter sido derrubado pelo ímpeto de Ramona.

              Os cinco se atracam, Ramona e o motoqueiro são os primeiros a se desvencilharem e se colocarem de pé. Darnell ataca o rosto de um inimigo enquanto o outro aponta um 38 em direção a sua nuca. Jen aparece silenciosamente e conecta cabos elétricos no atacante do sabá com a arma de fogo e este fica chamuscado e ressequido no chão. A fumaça de carne queimada preencheu todo o ambiente. O inimigo atacado por Darnell aproveita a chance e foge com a distração causada pela força da eletricidade. O motoqueiro por sua vez hesita entre ficar e lutar ou fugir junto com o amigo.
              Ramona aproveita esta hesitação e chuta o rosto do motoqueiro, que voa alguns metros e cai com a mandíbula deslocada para a direita.

              Ramona anda na direção dele e pergunta quando que os tais irmãos mais velhos iriam aparecer. Ela sabia que o Sabá não perdoava e certamente não a teriam poupado.

             Nesse momento sons de motores de muitos carros acelerando cada vez mais perto se fizeram presentes, o motoqueiro disse gargalhando que ela deveria se apressar. Certamente eram reforços.

              Logo em seguida, uma voz diferente vinda de trás chama a atenção de Ramona:

              - Cria! Por aqui. Depressa!!

              Apenas Ramona, por sua posição podia ver o estranho q a chamara. Ela chama Darnell e Jen e os leva até o alçapão indicado pelo estranho. Os faróis dos carros já podiam ser vistos. Quando o trio chega ao alçapão não há mais vestígios do estranho. O trio entra e Darnell fecha o alçapão. Ramona fica confusa pensando e sem entender pq antes o estranho a ameaçara mas agora a ajudava.

              Os três avançam por um túnel no subsolo e saem numa margem do rio Hudson, não muito longe da ponte George Washington.

              Ramona diz "por aqui!" e segue em direção ao norte. Jen pergunta para onde eles devem ir agora e Ramona responde "Hayesburg".
              A gangrel fica pensando se deve agradecer ou atacar o estranho quando o encontrasse de novo, não chega a nenhuma conclusão de imediato.

      Domingo 18 de Julho de 1999 4h39min
      Interestadual 81 - Norte
      Perto de Roanoke, Virgínia


              Leopold numa cena psicodélica alucina insanamente ao volante e derrapa. Ele ouve a "musa", uma presença que o acompanha e que o incitara a roubar aquele carro em Atlanta e dirigir para o norte. Leopold tinha certeza que as respostas que procurava estavam naquela direção. Um caminhoneiro preocupado com o quase acidente se aproxima para averiguar o estado de Leopold, e este o agarra, puxa para dentro do carro  e se alimenta de seu pescoço quebrado.
              Em seguida ele busca um lugar pra passar o dia.


      PARTE 2 OSSOS

      Quinta Feira, 22 de Julho de 1999, 1h02min
      Antiga escola primária de Hayesburg
      Hayesburg, New York

              Ramona e Jen têm uma conversa sobre a natureza daquilo que se transformaram. Jen ainda sem aceitar sua condição vampira chora uma lágrima de sangue, que Ramona seca com o dedo e leva aos lábios. Elas e Darnell haviam deixado Nova York 4 noites atrás e se fixaram naquela prédio abandonado.
              Havia um problema para encontrar um lugar protegido da luz do sol, Darnell se esforçava para achar um lugar seguro. Em determinado momento Ramona por acaso coloca os pés no solo e se sente muito bem, como se ela tivesse uma afinidade com a terra. Ela começa a afundar no solo despertando pela primeira vez o terceiro nível de metamorfose Fusão com a Terra. Ela chama Darnell e Jen para verem e consegue transmitir a eles através do toque a mesma habilidade de se fundir com a terra envolvendo-os num transe.

            Quando acordaram ficaram surpresos, Jen indagava a Ramona como ela fez aquilo e Darnell ficou irritado e a proibiu de repetir aquilo com ele.

              Ramona só disse "Aconteceu. Simplesmente aconteceu". Na noite seguinte eles chegaram a Hayesburg e Ramona sabia que Zhavon estava perto, embora não fizesse idéia de como sabia disso, ela simplesmente sabia. A Gangrel começa a pensar em Zhavon e de onde vem essa obsessão pela garota.
              Ramona sai na direção que inexplicavelmente sabia ser a posição de Zhavon, ela corre na cidadezinha a noite e desperta os latidos de alguns cães por algum tempo. Ela chega numa casa e sobe numa árvore que dá para uma janela. Quando seus olhos se adaptam à escuridão ela percebe pq tivera motivos de temer ir até aquele lugar.

      Quinta feira 22 de Julho de 1999 2h 31 min
      Alameda Meadowview
      Hayesburg Nova York

              Zhavon acorda e vê os olhos vermelhos de Ramona. Num transe a garota não sente medo e sai. Ela abraça Ramona. A Gangrel abraça a menina e sente o sangue debaixo da pele, pele que era a única coisa q se interpunha entre ela e seu desejo. Os caninos cresceram automaticamente em resposta a fome, mas Zhavon resistiu e manteve o controle. Zhavon cai de joelhos chorando. Ramona se afasta um pouco para não perder o controle, sabia que mataria Zhavon se começasse a beber seu sangue por perder o controle. Ela luta consigo mesmo para dar o fora dali mas Zhavon a segue se arrastando atrás dela.
              A mente de Zhavon havia se esvaído de razão dando lugar a pura atração animal. A menina se aproxima de Ramona, coloca a mão em seu ombro e a chama pelo nome exato, sem saber como sabia o nome "Ramona".
              Ramona se vira e a besta assume. A Gangrel ataca Zhavon.
              Ramona bebe se deliciando com o sangue da menina. Ela bebe a ponto de temer pela morte de Zhavon. Ela larga a menina e se afasta, mas cede novamente e agarra novamente a garota e suga todo o sangue que pode. Apesar de saber instintivamente que estava matando Zhavon, ela não conseguia se deter. A Gangrel sabia que isso destruía sua humanidade e que na próxima vez estaria mais fraca para resistir aos impulsos da besta.
              Subitamente, uma estaca atravessava sua costas saindo em seu peito. Ramona fica paralisada e cai. A Gangrel imagina que o atacante a mataria e a Zhavon em seguida. Mas o homem não parecia interessado nela, simplesmente agarra Zhavon no colo, lembe sua ferida curando o sangramento e se retira, deixando Ramona para o nascer do sol iminente. Tudo que a Gangrel conseguiu ver é que ele tinha um olho verde anormalmente grande e do qual escorria um pus gelatinoso.

      Quinta feira 22 de julho de 1999 2h 58 min

      Bernard College

      Nova York, Nova York

              Anwar se considerava com sorte por ter sido pago para matar alguém que qualquer filho de Haquim mataria de graça.
              Um vigia se aproxima do campus iluminado mas Anwar se esconde até q ele se vá. Anwar chega recear uma traição, na qual não teria chance contra tantos feiticeiros, mas confiando no discernimento de seus mestres ele prossegue aguardando pacientemente.

      Quinta feira 22 de julho de 1999 3h03min


      Norte do estado de Nova York


              Leopold joga a mortal no banco de trás e começa a dirigir o carro.

             Tão perto, murmurou a musa, fazendo ecos nos pensamentos de Leopold. A musa havia guiado Leopold até aquela cidadezinha e em todos os seus passos de forma infalível, embora Leopold não soubesse para onde ela o levaria. Imaginava ser o lugar onde poderia encontrar o tema de sua futura obra prima.
              Olhando para Zhavon, Leopold considera a menina adequada para sua visão artística, sendo tema da obra que lhe daria a verdadeira imortalidade, e agradece aos seus por tê-la encontrado antes que fosse destruída pela “selvagem” e tivesse negado o que Leopold chama de “o propósito de sua vida”.
              Tão perto, murmurava novamente a musa.

           Leopold desejava chegar mais longe possível para o norte antes do amanhecer. O volante estava pegajoso por causa do pus que escorria de seu olho.

      Quinta feira 22 ded julho de 1999, 3h05 min
      Alameda Meadowview
      Hayesburg, New York

              Ramona luta para sair da estaca mas não consegue se mexer, ela se lembra do homem com o olho verde pegajoso e seu instinto de proteção a Zhavon vem a tona. O tempo passa e o amanhecer começa a surgir. Ramona entra em pânico. Sua pale começa a coçar e arder.
              Ramona decide se acalmar e usar toda sua força focada numa única tarefa: arrancar a estaca. Ela usa sua vontade como nunca antes, mas tudo que consegue fazer é piscar. Ao perceber que fracassara entrou num pânico ainda maior.
              Fumaça começou a sair de seu corpo, ela se sentia queimando de dentro pra fora. A dor da estaca parecia uma simples alfinetada, e Ramona não podia nem se debater ou gritar.

              Então a estaca se moveu.

              Ramona julgou que a carne que segurava a estaca fora queimada e por isso ela havia se movido. Mas na verdade alguém havia puxado a estaca de seu peito. O buraco resultante deixado pela saída da estaca fora imediatamente cauterizado pelos raios de sol.

              - Enterre-se agora! - dizia uma voz que ela já havia ouvido antes.

              A fumaça de carne queimada mascarava o cheiro do estranho.

              - E enterre-se agora, cria estúpida! - depois disso Ramona o viu entrar na terra.

              Uma grande sonolência se abateu em Ramona, mas pouco antes de perder a consciência ela consegue se afundar no solo.

      Quinta feira 22 de junho de 1999 11h 6min
      Norte do Estado de NY

              Zhavon acorda com dores de cabeça, ela está na escuridão e amarrada. A menina se esforça para lembrar dos eventos anteriores e tentar entender as coisas. Na escuridão ela viu um olho grande e nojento. De repente seus lábios colaram um no outro e ela em silêncio começou a chorar.

      Quinta feira 22 ded julho de 1999, 21h05min
      Alameda Meadowview
      Hayesburg, New York

              O estranho estava esperando Ramona quando esta emergiu naquela noite.

              - Venha comigo - seus movimentos deixavam claro que ele estava ciente de todos os ruídos noturnos.

              Ramona saindo da terra ainda estava mudando de perspectiva.

           - Venha comigo - ele disse novamente mas desta vez compreendendo que Ramona ainda estava se adaptando a nova perspectiva.

              Ramona sentia que a presença dele a reconfortava. Mas virou pra ele e disse:

              - Me chame de cria estúpida de novo, babaca!

              O estranho desaprovou a afronta, mas não respondeu e foi embora.

             Os músculos rígidos de Ramona reagiram qd ela o viu partir, ela não poderia deixá-lo ir. Ele a atraía. Ela com dificuldade se coloca de pé e o segue com seu corpo ferido e queimado.

              Ramona acompanhava o estranho e logo o alcançou. Ela admirava o jeito convicto e sem medo dele. Ela pensava que ele parecia ter dominado todos os medos que ela possuía. O estranho abria caminho pelo bosque enquanto Ramona pensava em Zhavon. Quando Ramona achava que não poderia mais continuar devido aos ferimentos o estranho parou, apontou numa direção e disse:

              - Alí  - apontando para uma mulher no chão inconsciente.

              Ramona percebeu que não havia acompanhado o estranho de livre vontade, nao era a primeira vez que não conseguia controlar o próprio corpo. A mulher no chão era conhecida de Zhavon. Ramona se alimenta dela para se recuperar dos ferimentos. Ramona mata a mulher por falta de sangue e percebe que o mesmo teria acontecido com Zhavon se o estranho de olho gosmento não a tivesse impedido.

              Ramona e o estranho (q se apresenta como Tanner) tem uma conversa e Ramona fica irritadinha qd fala de Zhavon, pois Tanner diz que ela não deve se preocupar pq os humanos são só alimento.
              Ramona fica fula de raiva pq percebe que ele a estava seguindo desde NY, que não a havia salvado na hora e tinha seguido o homem de olho estranho.
             Tanner diz que não a salvou na hora pq ela precisava aprender uma lição. Ramona fala umas coisas insolentes e leva uma bofetada. Ramona pensa em atacar, mas o semblante intimidador de Tanner a fez desistir da ideia. Tanner declara ser o senhor de Ramona. Ela fica zonza e ouve a voz de Tanner finalmente responder a pergunta sobre Zhavon, dizendo que o homem de olho estranho levou a menina para o norte de carro e que saiu da cidade.

              Em seguida Tanner desaparece.

      Quinta Feira 22 de Junho de 1999 22h
      Norte do Estado de NY

             Leopold faz análises da perda de seus dons com o abraço. Ele compara sua criatividade e seus métodos antes e depois de virar vampiro. O olho lhe dava uma visão que tornara tudo que ele valorizava antes como insignificante. A musa ainda o conduzia, e a visão de Leopold ainda se alternava entre um estado de visão e não visão (algo como olhar criativo e olhar comum). Agradava a Leopold se livrar gradativamente da não visão. Leopold tem pensamentos megalomaníacos que vai entrar na história e obscurecer a fama do próprio nome "Toreador", que não haveria ninguém antes e nem depois que fosse melhor que ele.

              Leopold chega até Zhavon, que está amarrada numa estalagmite.

              A musa sussurrava: "a essência da vida, a essência da beleza - Complete-a Leopold"

              Leopold pergunta: "mas como?"

              A musa o pega pela mão e diz: "eu vou te mostrar".

      Quinta Feira 22 de Junho de 1999 22h, 04min
      Alameda Meadowview, NY 


             Ramona pensa um pouco de desiste de procurar por Tanner. Ela só o sentira antes bem de leve e mesmo assim qd ele queria. A Gangrel acha as chaves de um carro próximo (da mulher morta) e promete a si mesma conseguir dominar a fome no futuro. A preocupação de Ramona é encontrar Zhavon. Ela fica pensando em Tanner e ainda sente o ardor da bofetada. Ela pondera pq ela a fez vampira etc e tal.

              Ramona segue para o norte apenas com o instinto de que conseguirá encontrar Zhavon.

              Entretanto ela se detém pra pegar Jen e Darnell. Jen estranha o buraco no peito de Ramona e a Gangrel conta o ocorrido, deixando de mencionar Zhavon e Tanner. Ramona nota que suas orelhas estão pontiagudas.
              Darnell pergunta se Ramona sabe pra onde está dirigindo e a Gangrel usando os mesmos instintos que usou qd encontrou Zhavon pela última vez responde que sim.
              De repente Ramona pisa no freio e acelera em marcha ré, assustando Darnell e Jen. Ela desliga os faróis e entra numa estrada de terra a toda velocidade, batendo em galhos e sacolejando nos buracos. Ela enxergava no escuro, mas os demais não.
              Darnell, a poucos centímetros do rosto de Ramona grita seu nome.

              A Gangrel anda mais um pouco e freia bruscamente. Todos saem do carro e Darnell diz: "o que deu em vc porra"

              Em seguida ele olha que o carro em que estavam parou um metro de distância de um sedã preto com placa da Geórgia.

              Depois disso ele diz: "puta que o pariu".



      Sexta Feira 23 de Junho de 1999 0h45min
      Norte do estado de NY


              Leopold trabalhava em cima de Zhavon, a musa o pedia paciência e Leopold fica feliz por aquela obra já ter ultrapassado em muito tudo que ele já havia feito anteriormente. Leopold considera já estar atingindo a essência da vida e da beleza.

      Sexta Feira 23 de junho de 1999, 1h08min
      Norte do estado de NY

              Jen, Darnell e Ramona seguem a trilha de gosma verde que Leopold deixara. Jen fica preocupada pq eles estão entrando mato adentro já que não faz muito tempo eles tiveram um desagradável encontro com um lobisomem que matou Eddie. Pra resumir a ópera, eles chegam numa caverna e Ramona sente que Zhavon está lá dentro. Ao entrar na caverna eles escutam os gemidos de dor de Zhavon e a voz de Leopold. Chegando mais perto eles viram Zhavon completamente desfigurada. Num momento Leopold toca a face de Zhavon e esta se derrete como cera, Ramona fica indignada.

              Ramona (já com garras) e Darnell pulam para atacar Leopold.

              Ramona , Darnell e Jen se atracam com Leopold. Ramona quase arranca o olho gosmento, mas leva um jato de pus ácido que a faz se contorcer em dor, o mesmo acontece com Jen.
           Num momento, Darnell manda Ramona pegar a mortal enquanto eles lidam com Leopold. Ramona obedece e começa a libertar o monstro em que Leopold transformara Zhavon.

              Leopold se ira e diz : "Não toque na minha obra prima".

            Isso fez com que a vontade de Ramona se esvaísse, ela se sentiu com um peso de séculos sobre si, quem era ela para interferir? Ramona deposita a mortal no chão ao ser afetada por um poder semelhante a presença nível 5. Jen e Darnell não entendem nada e resovem atacar Leopold.
            O Toreador invoca uma estalagmite que brota do chão e acerta Jen em cheio, partindo a vampira no meio e fazendo sua cabeça rolar pelo chão. Leopold agarra Darnell e começa a abri-lo no meio enquanto Ramona assiste a tudo ainda sob os efeitos do transe.
              De repenete Tanner grita por Ramona e a manda voltar. Ele manda Ramona pegar a menina e segui-lo. Ramona percebe que Tanner estava com medo.

              Tanner e Ramona fogem levando Zhavon - eles percorrem uma grande distância mesmo o sol estando por nascer e Tanner diz que eles precisam se fundir a terra. Mas Ramona não quer largar Zhavon ali.

             Tanner a manda fazer o que deve ser feito. E Ramona manda Tanner se foder e começa a chorar lágrimas de sangue.

              As deformações de Zhavon são descritas e novamente Tanner manda Ramona fazer o que deve ser feito e entra no solo em seguida. Ramona se convence de que Zhavon não sobreviveria e q estava por fazer um ato de misericórdia. Ramona beija a menina e agarra seu coração exposto. Ramona bebe todo o sangue de Zhavon e afunda na terra.

      Parte 3 CINZAS

      Sexta Feira 23 de Julho de 1999, 9h09 min
      Norte do Estado de NY

              Ramona se sente em paz dentro da terra, e imaginava se poderia ficar ali pra sempre, mas qd a besta rugiu em seu interior ela saiu. Tanner já estava preparado e a repreendeu para que nunca saísse da terra sem saber quem ou o que a aguardava. Tanner havia enterrado Zhavon e há uma cena onde Ramona novamente demonstra insolência. Tanner bota as presas de fora e emite um silvo violento mostrando seus olhos vermelhos e Ramona fica com muito medo. Tanner diz que não vai mais tolerar insolências e sai dizendo que precisa chamar outros para derrotar a criatura da caverna.


      Sexta Feira 23 de Junho de 1999
      Norte do estado de NY


              Ramona vai até o local do enterro do corpo de Zhavon e fica se sentindo culpada. Ramona sente sua humanidade se esvaindo e depois fica em total silêncio.


      Sexta Feira 23 de Junho de 1999 22h45min
      Capela dos 5 distritos

              Johston Foley continua a fazer experimentos com a joia e percebe que seu campo místico aumentara de diâmetro e de potência. Ele estava feliz pq seus progressos certamente seriam reconhecidos talvez até por Merlinda. Aisling Sturbridge havia retornado da reunião de Baltimore e nem ela escondia o interesse na joia. Foley havia notado um quase imperceptível mover de sobrancelha de Aisling e isso era mais que suficiente para que soubesse que ela estava muito interessada. Jaqueline havia reunido os itens necessários e Aaron se incumbira dos rituais de proteção para q ninguém interrompesse o ritual e para que a capela estivesse protegida de qualquer coisa que o ritual pudesse liberar. Foley inspeciona a tudo e qd se dá por satisfeito inicia o ritual.
      O ritual prossegue e Foley tem um experiência extra sensorial bem detalhada, mas no fim acaba sendo arrastado para as trevas

      bado, 24 de Junho de 1999 - 1h 17 min
      Norte do estado de Nova York

      Ramona se perde em pensamentos, pensa nas perdas recentes. Contudo um som chama sua atençao.
      ao invetigar a fonte do som Ramona descobre kue fora produzido por um rato gigante revolvendo a terra.


      Vc é cria de Tanner - disse o rato.

      Ramona fica surpresa ao notar que o rato gigante era um Gangrel cheio de carcteríticas animais. Ramona salta e atinge o homem, pois estava mexendo no túmulo de zhavon.

      O homem se joga para o lado e se coloca numa distancia segura. O homem-rato diz a Ramona que corpo frescos frequentemente possuem sangue ´comestível´, ele até diz que nao e necessario brigar uma vez que haveria o bastante para os dois.

      Ninguém desenterrará este corpo - diz Ramona.

      O homem pergunta se o sangue pertence a Ramona. A gangrel diz que sim e o homem aceita, não quer brigarpelo sangue. Ambos se apresentam e Ramona pergunta a cara-de-rato (a alcunha do homem) se tanner o havia enviado. Carade rato responde que sim, que tanner havia convocado uma reunião dos gangrel.
      Ramona e cara de rato conversam um pouco e este a pergunta se ela sabe o motivo de tanner ter convocado a reunião.
      Ramona responde que o motivo era pq tanner estava com medo.

      Neste momento chegam 2 outros gangrel, q acabam tendo uma pequena briga. A briga acabou rapidamente e ambos passaram a se olhar com um reconhecimento silencioso.
      Um deles, que se chamava Brant se aproxima de Ramona e diz que aprendeu muito com Tanner.
      Ramona responde que gostaria de poder dizer o mesmo.

      Sábado, 24 de Julho de 1999 , 3h22min
      Capela dos 5 Distritos
      Cidade de Nova York

      Johnston Foley luta contra a escuridão rodopiante.  A nova perspectiva que assaltava Johnston era tão rebelde e caótica como a sua era ordenada. johnston estava sendo submetido a pensamentos contraditórios, medos e necessidades.
      Em seguida ele percebe uma consciência, uma que era ardilosa e forte. Antes que pudesse perceber o tremere sentiu tentáculos da personalidade a enredá-lo. Johnston se livra da psique envolvente e se recobra. Tentáculos serpentearam atrás dele, mas Johnston se manteve fora de alcance da consciência ensandecedora. johnston se apega a sua pluma, sua âncora, inexplicavelmente ligada a quem ele era, ao ritual que executara. Era sua âncora, e seu escudo contra a consciência insana.
      Johnston se foca novamente,  uma visão aparece. Ele se via num lugar aberto, escuro, úmido e frio - viu paredes insubstanciais de constituição rochosa e calcárias. Esta realidade oscilava, indo e voltando.
      O tremere estende as mãos e tocam na únca coisa que lhe era real e substancial: um rapaz negro - um membro com as presas expostas cuja mandíbula estendia-se impossivelmente até abaixo de seus joelhos. Sua língua se bifurcava meia dúzia de vezes. Cada filamento se retorcia. seus olhos estavam virads para trás, mas ele ainda nao estava morto.
      Johnston assistia a tudo e tocou no membro. Com o toque, a carne e ossos de suas mãos derreteram e foram remodelados. As línguas de serpente se agitaram.
      O tremere se afastou daquela visão. Em vez disso passou a sondar cautelosamente a outra consciência, a entidade para a qual servira com o olho. Desta vez johnston explorava a distância, enquanto segurava com força a pluma, e lembrando-se da tinta e do pergaminho, começou a escrever.

      Sábado, 24 de Julho de 1999 , 4h05min
      Norte do Estado de  Nova York

      Os Grangrel que Tanner convocara começam a se reunir e botar a conversa em dia (sobre o sabá e sobre lobisomens). Ramona os analisa e lembra-se de como achou Caçador-da-noite assustador e íntimo com a Besta.  Ramona se recorda do ataque do lobisomem no Texas em que um de seus companheiros foi morto.
      Num determinado momento Ramona julga já ter esperado demais pelo retorno de Tanner e incita os demais gangrel a atacarem a caverna, mas Edmonson e Cara-de-rato discordam. Ramona e Edmonson se estranham, mas quando ramona vai partir pra cima, é detida por Cara-de-rato.
      Pouco depois, outro gangrel respeitado por todos chega, Edward Pena Negra, um xamã cherokee.
      Pena Negra realiza um ritual no lugar.

      Domingo, 25 de Julho de 1999 , 0h14min
      Barnard College
      Cidade de Nova York, Nova York

      Anwar encontra-se com seu contato após este dar o sinal ao fazer surgir uma chama sobre sua mão. O contato de identifica como sendo Aaron. Anwar passa a acompanhar Aaron. Ambos chegam numa porta de acesso restrito, e com proteções místicas. Aaron bota Anwar para dentro. Ambos avançam um pouco em absoluto silêncio e Aaron veste uma túnica, ordenando que Anwar faça o mesmo.
      Num determinado momento Aaron diz para Anwar manter total silêncio. Anwar obecede e passa a registrar mentalmente tudo o que vê, procurando pelas defesas dos tremere.
      Aaron chega diante de uma porta, coloca as mão sobre ela e recita um encantamento. A porta se abre, revelando uma escada descendente e paredes e concreto liso.
      Ambos começam a descer a escada.
       
      Sexta Feira 23 de Junho de 1999 0h31min
      Capela dos 5 distritos - Nova York

      Johnston fica se indagando o que era aquela psique insana para a qual a jóia o levou, e o porquê de tê-lo feito. Johnston ainda em transe começa a desenhar a forma física que se ligava a psique, usando uma pena encantada que não permitia a ninguém além de Johnston, ver o que ela escrevia. Ele o fazia enquanto recitava um cântico que o mantinha em contato indireto com a psique, para que o desenho saísse perfeito.
      Quando considerou voltar a seu corpo, Johnston se viu indagado por uma questão: ele havia sentido por duas vezes uma outra presença por perto - Johnston e a psique não estavam sozinhos. Ainda que esta outra mente pudesse ser apenas  um eco das múltiplas personalidades no interior da própria insanidade...Johnston decide vasculhar uma última vez e conduz um ritual de revelação ao mesmo tempo em que desenha.
      Para sua surpresa, ele encontrou uma presença alienígena, e a reconheceu no mesmo instante. Johnston se assusta por não tê-la reconhecido antes, a fonte que não deveria estar lá, que não deveria estar em lugar nenhum!
      Com o susto Johnston quase perde a concentração e o ritual quase se desfaz, e decide terminar o ritual de revelação.
      Ao terminar o ritual Johnston começa a se recobrar e imaginar o relatório que apresentaria a Sturbridge, mas havia algo errado.
      Os cânticos não emitiam som, embora ele os estivesse dizendo, os lábios se moviam, mas o som não se fazia presente.
      Foi quando sentiu o impacto da lâmina, que cortou-lhe a medula espinhal. Mas o efeito do ritual terminando bruscamente o atingiu com ainda mais ferocidade. As energias místicas voltaram-se contra ele em vingança por terem sido submetidas previamente. Veio a agonia psíquica, e depois... o nada.

      Anwar atacara o feiticeiro, e em seguida jogou-se para sugar-lhe o sangue. Aaron havia conduzido Anwar pelo labirinto de corredores da capela.
      Antes mesmo de o sangue descer completamente por sua garganta, Anwar tomou a jóia, tal como havia sido instruído. Anwar e Aaron começaram a retornar pelo mesmo caminho, e Aaron novamente ia desativando as defesas místicas , as quais Anwar não conseguia compreender.
      Por fim ambos chegam na parte externa da capela.
      Anwar trai a Aaron e o mata, desaparecendo na noite com a jóia.

      Segunda feira, 26 de junho de 1999 , 0h
      Norte do estado de Nova york

      Ramona acorda e percebe que ficou dormindo por uma noite e meia, Cara-de-rato chegou a achar q ela tinha ido embora. ele também diz que todos estao ansiosos para saber o que o xamã disse para ramona, porque o gangrel xamã foi embora logo após o término do ritual, sem falar com mais ninguém
      Ramona revela que o xamã disse que as noites estão chegando, cara-de-rato comenta sobre a futura volta dos antediluvianos. Ramona fica se perguntando se o toreador que cuspiu ácido, chegando a assustar até ao Tanner, não seria um dos antediluvianos.
      Um número maior de gangrel ia chegando ao local.

      Segunda feira, 26 de junho de 1999 , 2h18min
      Norte do estado de Nova york

      Ramona fica refletindo sobre os detalhes do ritual realizado pela xamã, e nã oconsegue dar sentido ao que presenciou. Tanner finalmente retorna, e junto a ele estava Xaviar. Ramona se surpreende pelo fao de Tanner demonstrar reverência a Xaviar, todos os outros Gangrel demonstravam o mesmo respeito. A postura de Xaviar era tão imponente que até mesmo a rebelde Ramona sentiu um calafrio por dentro, não queria aborrecê-lo em nada.
      Xaviar se aproixima de Ramona e a diz para contar tudo o que viu.
      Ramona vê as palavras saltarem de sua boca, a gangrel contou tudo. Ramona pergunta a Xaviar se trata-se de um Antediluviano.
      Xaviar responde que não, e que em pouco tempo não importará mais o que é a tal coisa.
      Ramona diz que a coisa chamava a si mesmo de Toreador. Todos os gangrel caíram na risada, ma logo se calaram porque estavam na presença de Xaviar.
      Xaviar indignado, vira-se para Tanner cobrando explicações.
      Tanner diz que não sabia disso, que viu a coisa derreter a rocha, manipular a carne como um tzimisce - em seguida Tanner vira-se para Ramona zangado e diz em tom acusatório "Você não me disse nada disso".
      Xaviar sorri ,mas permanece sério. Ele diz que isso era esperado de uma crinça da noite, mas não esperava isso de Tanner. Trazê-lo até ali para matar um único Toreador. Tanner olha para baixo e nao tenta se justificar.
      Xaviar pergunta se Ramona sabe o que é um Toreador. Ramona responde que não, e xaviar diz que é o mais fraco e patético clã dos filhos de Caim.
      Xaviar dá um urro e inicia o rompante de caçada ao Toreador, e os Gangrel o seguem, correndo em grande velocidade e em forma de lobos enormes, arrancando faíscas das pedras ao passarem com sua garras pelas pedras. Ramona também se transforma em lobo e acompanha a "alcatéia". Subitamente Ramona começa a ter uma visão espiritual da floresta, efeito do ritual de Pena Negra.

      Segunda feira, 26 de junho de 1999 , 2h18min
      Norte do estado de Nova york

      Ao se aproximar do prado, Ramona perde a visão espiritual. Ela também perde Xaviar e Tanner de vista. O ataque era coordenado pelo instinto, alguns gangrel se esconderam na retaguarda, outros se espalharam. RAmona aguça sua audição ao máximo que podia, e tinha certeza ser capaz de ouvir até muito mai longe do que estava agora a entrada da caverna. Contudo Tanner e aqueles que o seguiam moviam-se com tal habilidade que Ramona não foi capaz de ouvir absolutamente nada. Tanner passa pelos bosques e desaparece nas trevas.
      Fez-se um silêncio insuportável para Ramona.
      Os gritos sinistros que rompera o silêncio quase foram um alívio, porque os gritos não eram do Toreador. Sons de rosnados ferozes. A luta no interior da caverna se fazia presente, e a incerteza tomou conta de todos os gangrel do lado de fora. Os gritos foram diminuindo e Ramona achou que os gangrel haviam ferido o toreador e estavam fechando o cerco para matá-lo.
      Subitamente, Emil sai da caverna cambaleando, pq sua perna não mais podia sustentá-lo. Emil rolou pelo declive e quando se levantou, Ramona viu que o rosto do gangrel estava enegrecido e queimado.
      Logo em seguida o Toreador saiu da caverna, o olho pulsava e estremecia como se fosse algo vivo. Emil fica paralisado por causa dos poderes do olho. O toreador  o alcance e derrete sua cabeça com um toque das mãos.
      Dois grupos de Gangrel vindo de direções diferentes lançaram-se contra o Toreador. O grupo de Ramona se lança ao combate, mas Ramona novamente é tomada pela visão espiritual. Ramona acaba tropeçando e fica para trás.
      O toreador arranca o olho da órbita, trazendo também um nervo fibroso e ensanguentado. Ao ser arrancado, o nervo começou a se contorcer como uma coisa viva, enrolando-se no braço do toreador. Logo em seguida o nervo começou a crescer, até atingir o solo e começar a se enterrar.
      O toreador parece ter ganho controle do solo, e fazia espigões surgirem e perfurarem os gangrel. Fendas no chão engoliam e esmagavam os gangrel. Um a um os vampiros foram morrendo.
      O toreador em seguida faz surgir explosões de magma. A visão espiritual incapacitava Ramona de tomar qualquer ação.
      Subitamente, Xaviar salta de uma encosta íngreme acima da caverna. Xaviar atinge o toreador ferozmente, mas era como se o Toreador fosse feito de rocha.
      Há uma grande explosão. Ramona é jogada longe e só não morre porque Cara-de-rato estava na frente e absorveu o impacto. Cara-de-rato estava morto, com um buraco chamuscado no peito.
      Com a explosão, a visão espiritual se fora.
      Ramona se levanta e olha na direção onde xaviar e o toreador estavam. Ela vê Xaviar suspenso no ar, perfurado por vários espigões.
      Ramona parece estar ouvindo os espíritos de Zhavon e de seus companheiros mortos, todos a incentivam a não desistir. A maioria dos gangrel estava morta, os demais haviam fugido pelo temor da lava, que não parava de fluir e ocupar todo o ambiente. As poucas ilhas cercadas pelo magma logo seriam encobertas.
      O Toreador se aproxima de Xaviar e começa e distorcer seu braço, o braço do gangrel vergava como arame fino. Xaviar sentiu muita dor, mas cerrou os dentes e não gritou. O toreador segura Xaviar pela cabeça e o ergue, o som dos ossos raspando pelos espigões fez Ramona tremer. O toreador arremessou Xaviar longe. Ramona vai ao encontro de Xaviar, e num determinado momento os olhares do Toreador e de Ramona se cruzam. Ramona fica paralisada por um instante... e o olo a manda correr. Ramona jogou Xaviar nos ombros, virou-se e correu. Ramona se viu cercada pela lava e precisou usar o corpo  de uma gangrel que já estava se incendiando como trampolim, para que ela e Xaviar pudessem escapar. O segundo salto de Ramona é o fim da mulher se incendiando, esta fica submergida na lava. Ramona olha para trás uma última vez, vira-se ainda com Xaviar nos ombros, e continuou correndo.

      Segunda feira, 26 de junho de 1999 , 3h51min
      Norte do estado de Nova york

      Ramona correu até achar estar em segurança. Ramona deposita Xaviar no chão e fica analisando os ferimento do ancião, queimaduras e perfurações de espigão já em fase de regeneração.. e o braço distorcido, o qual Ramona se perguntava se um dia voltaria ao normal.
      Xaviar manda Ramona ir embora, ele diz que não precisa mais dela pq vai reunir os 7 clãs para enfrentar "aquela coisa". Ramona então se vai..

      FIM!!!